The impeachment process and party loyalty

Autores

  • Álvaro Ricardo de Souza Cruz Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Lorena Nascimento Ramos de Almeida Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.22456/0104-6594.77504

Palavras-chave:

Party Loyalty, “Fixation of Matter”, Impeachment, Separation of Powers, Legislative Mandate, Ciência Política, Direito Constitucional

Resumo

 

The impeachment process and party loyalty

 

Processo de impeachment e fidelidade partidária

 

Álvaro Ricardo de Souza Cruz*

 

Lorena Nascimento Ramos de Almeida**

 

REFERÊNCIA

CRUZ, Álvaro Ricardo de Souza; ALMEIDA, Lorena Nascimento Ramos de. Processo de impeachment e fidelidade partidária. Revista da Faculdade de Direito da UFRGS, Porto Alegre, n. 38, p. 101-120, ago. 2018.

 

RESUMO

ABSTRACT

O presente trabalho visa trazer à baila a pesquisa sobre o tema da fidelidade partidária, sob o enfoque do exercício dos parlamentares de seu voto no processo de impeachment. Primeiramente analisaremos o instituto da fidelidade partidária, sob o enfoque de seu tratamento no ordenamento jurídico pátrio. Além disso, iremos estudar o que seria o “fechamento de questão” e como ele funcionaria – de forma genérica – nos partidos brasileiros. Ainda iremos estudar o processo de impeachment e a atuação dos parlamentares (Deputados e Senadores) e sua função dentro da teoria de checks and balances, no referido procedimento. Por fim, traremos um estudo de caso referente ao “fechamento de questão” pelo Partido Democrático Trabalhista – PDT, no processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Para atingimento dos objetivos científicos traçados, procederemos a uma abordagem de estudo qualitativa do tipo exploratória, tendo como base o levantamento bibliográfico da literatura jurídica a fim de melhor compreender os institutos jurídicos envolvidos e efetivar a contraposição dos posicionamentos existentes na atualidade sobre os temas acima descritos, almejando compreender qual o melhor posicionamento acerca dos temas por meio do desenvolvimento argumentativo das teorias atuais.

 

The present work aims to shed light to the research on the theme of party loyalty, under the focus on the exercise of the parliamentarians’ vote during the process of impeachment. First, we will analyze the institution of party loyalty, under the focus of its treatment on the country’s legal order. In addition, we will study what would be the "fixation of matter" and how it would function – in a generic way – inside Brazilian political parties. We will then study the process of impeachment and the performance of parliamentarians (Deputies and Senators) and their function within the theory of checks and balances, in the previously mentioned procedure. Finally, we will bring a case study on the "fixation of matter" by the Democratic Labor Party - PDT, during the impeachment process of former Brazilian President Dilma Rousseff. In order to reach the scientific objectives outlined above, we will proceed to an exploratory qualitative study based on a bibliographical legal literature research in order to better understand the legal institutions involved in it as well as turning effective the counter parts of already existing positions on the topics described above, intending to understand the best positioning on the themes through the argumentative development of current theories.

 

PALAVRAS-CHAVE

KEYWORDS

Fidelidade Partidária. “Fechamento de Questão”. Impeachment. Separação de Poderes. Mandato Legislativo.

Party Loyalty. “Fixation of Matter”. Impeachment. Separation of Powers. Legislative Mandate.

* Professor adjunto III da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Graduação em Economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1985). Graduação em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (1986), Mestrado em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (1990) e Doutorado em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (2003). Procurador da República.

** Mestranda em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Especialização em Direito Administrativo e Especialização em Direito Constitucional pela Faculdade Internacional Signorelli. Bacharel em direito pela Universidade Federal de Minas Gerais. Integrante da Comissão de Direito Militar da OAB/MG (2015/2018). Advogada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Álvaro Ricardo de Souza Cruz, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Pós-Doutor em História pela UFMG (2017). Doutor em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (2003). Mestre em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (1990). Possui Graduação em Economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1985), Graduação em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (1986). Atualmente é Procurador da República do Ministério Público Federal e Professor Adjunto III da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito, atuando principalmente nos seguintes temas: estado democrático de direito, hermenêutica, direito comparado, relações igreja-estado e direito contemporâneo.

Lorena Nascimento Ramos de Almeida, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Mestranda em Direito Público pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Especialista em Direito Administrativo e Direito Constitucional pela Faculdade Internacional Signorelli. Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais. Advogada no escritório Diniz, Guimarães, Gomes e Ribeiro Associados, Secretária da Comissão de Direito Militar da OAB/MG.

Referências

ARAS, Augusto. Fidelidade partidária: a perda do mandato parlamentar. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.

BASTOS, Celso Ribeiro de. Comentários à Constituição do Brasil. São Paulo: Saraiva, 1988.

BISPO SOBRINHO, José. Comentários à Lei Orgânica dos Partidos Políticos. Brasília: Brasília Jurídica, 1996.

BRASIL. Constituição Federal (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 19/05/2017>.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 1, de 17 de outubro de 1969. Brasília. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc_anterior1988/emc01-69.htm> Acesso em 20/09/2017.

BRASIL. Lei nº 1.079 de 10 de abril de 1950. Define os crimes de responsabilidade e regula o respectivo processo de julgamento. Diário Oficial. Brasília, 12 de abril de 1950. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L1079.htm. Acesso em: 19/05/2017>.

BRASIL. Lei nº 9.096 19 de setembro de 1995. Dispõe sobre partidos políticos, regulamenta os arts. 17 e 14, § 3º, inciso V, da Constituição Federal. Diário Oficial. Brasília, 20 de setembro de 1995. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9096.htm. Acesso em: 19/05/2017>.

BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral. Representação nº 6.963. Relator: Min. Décio Meirelles De Miranda. Diário de Justiça. 14 de março de 1985. Disponível em: <http://inter03.tse.jus.br/sjur-pesquisa/pesquisa/actionBRSSearch.do?toc=true&docIndex=0&httpSessionName=brsstateSJUT1474318923&sectionServer=TSE&grupoTotalizacao=2> Acesso em: 17 de junho de 2017.

CALIMAN, Auro Augusto. Mandato parlamentar: aquisição e perda antecipada. São Paulo: Atlas, 2005.

CLÈVE, Clèmerson Merlin. Fidelidade Partidária e Impeachment – Estudo de Caso. 2. ed. Curitiba: Juruá Editora, 2012.

COSTA, Antônio Tito. Infidelidade partidária: conceito e aplicação. Revista de Direito Público, São Paulo, n. 19, 1972.

DERRIDA, Jacques. Força de lei: o fundamento místico da autoridade. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2007

MELLO, Joaquim Munhoz de. A autonomia dos partidos políticos e a nova lei eleitoral. Revista Paraná Eleitoral. Curitiba, n. 26, p. 17-20, jul./dez. 1997.

MONTESQUIEU, Charles Louis de Secondat, Baron de la. Do espírito das leis. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

MOREIRA REIS, Palhares. O partido político e a lei de 1995. In: DALLARI, Adilson deAbreu e outros. Direito eleitoral. Belo Horizonte: Del Rey, 1996.

PARTIDO DEMOCRÁTICO TRABALHISTA. Ata de Reunião da Executiva Nacional com a comissão de ética nacional realizada na sede nacional do PDT. 1º Ofício de Registro de Pessoas Jurídicas. Brasília/DF. Número 00133105 e 00133106 do livro número A-06 em 19/04/2016.

ROVANI, Celeste Vicente; DUARTE PEREIRA, Marco Antônio. Fidelidade partidária. Revista do TRE/RS. Porto Alegre, set./dez. 1996.

SAMPAIO, Nelson de Sousa. Perda de mandato por infidelidade partidária? Revista de Informação Legislativa. Brasília, n. 76, out./dez. 1982.

Publicado

2018-08-31