A precariedade está por toda parte: um estudo das origens e consequências da precariedade do trabalho no mundo globalizado

Autores

  • Rafaela Ribeiro Zauli Lessa Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.22456/0104-6594.62845

Palavras-chave:

Direito do Trabalho, Precariedade, Marginalização, Pós-Fordismo, Direitos Humanos, Globalização

Resumo

O processo globalizante intensificado nos anos 90 pela industrialização e pela modernização generalizadas, aliado a fatores como o fim do Estado do Bem-Estar Social, o surgimento das transnacionais e a eclosão do Pós-Fordismo, abalou profundamente o primado do trabalho e emprego, resultando no fenômeno conhecido como “desemprego estrutural”, levando à precarização do emprego. As transnacionais, empresas “flexíveis”, exploram a insegurança criada por elas mesmas. Ao colocar o trabalhador permanentemente em risco de perder seu trabalho, ela baixa seus custos sem oposição, promovendo o fenômeno da “flexploração”. Ao mesmo tempo, o novo modelo produtivo Pós-Fordista contribuiu para instaurar uma outra marginalização social, em que o trabalhador precarizado é difundido e não se vê como um sujeito coletivo capaz de exigir o direito e a dignidade e o trabalhador das empresas principais se vê dependente e incapaz de sustentar seus pleitos trabalhistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaela Ribeiro Zauli Lessa, Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais

Mestranda em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais, sob a orientação da Profa. Dra. Daniela Muradas.

Referências

ALVES, G. Dimensões da Reestruturação Produtiva: Ensaios de Sociologia do Trabalho. Londrina: Editora Praxis, 2007,2ª ed.

ANTUNES, Ricardo. Os modos de ser da informalidade: rumo a uma nova era da precarização estrutural do trabalho? Serviço Social e Sociedade, n. 107. São Paulo, julho/setembro 2011.

BOLTANSKI, Luc, CHIAPELLO, Ève. O novo espírito do capitalismo. Trad. Ivone C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2009. “Transformações do trabalho”, p. 247-284.

BOURDIEU, Pierre. A precariedade está hoje por toda parte. In BORDIEU, Pierre. Contrafogos: táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998, p. 72-77.

CASTEL, Robert. El ascenso de las incertidumbres. Trabajo, protecciones, estatuto del individuo. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2010.

CASTEL, Robert. La montée des incertitudes. Travail, protections, statut de l’individu. Paris: Éditions du Seuil, 2009.

CASTEL, Robert. Les Métamorphoses de la question sociale, Paris, Gallimard. 1995.

DELGADO, Maurício Godinho. Capitalismo, Trabalho e emprego: entre o paradigma da destruição e os caminhos de reconstrução. São Paulo: LTr, 2006.

GORZ, André. Misérias do presente, riqueza do possível. Trad. Ana Montoia. São Paulo: Annablume, 2004.

FUDGE, Judy; TUCKER, Eric; VOSKO, Leah F. The legal concept of employment: marginalizing workers. Report for the Law Comission of Canada. Set, 2002.

Human Rights Watch. Bottom of the Ladder: Exploitation and Abuse of Girl Domestic Workers in Guinea. Nova York. 2007. <http://www.hrw.org/sites/default/files/reports/guinea0607webwcover.pdf>.

Human Rights Watch. Lonely Servitude: Child Domestic Labor in Morocco. Nova York. 2012. <http://www.hrw.org/sites/default/files/reports/morocco1012ForUpload_2.pdf>.

International Labour Rights Forum. Cocoa Campaign. <http://www.laborrights.org/industries/cocoa>.

KINLEY, D.; TADAKI, J. From talk to walk: The emergence of human rights responsibilities for corporations at international law. Virginia Journal of International Law , v. 44, n. 4, p. 931-1023.

LESSA, R. R. Z.; REIS, D. M. . SUBMISSÃO DAS CORPORAÇÕES A SANÇÕES INTERNACIONAIS E MEIOS NÃO ESTATAIS DE REPARAÇÃO: Possíveis soluções à ineficácia social do Direito ao Trabalho Decente. Anuário Brasileiro de Direito Internacional, v. 2, p. 89-113, 2015.

MARTINS ZANITELLI, Leandro. Corporações e Direitos humanos: O Debate entre Voluntaristas e Obrigacionistas e o Efeito Solapador das Sanções. Sur - Revista Internacional de Direitos humanos. v. 8. n. 15. dez. 2011. Semestral. <http://www.surjournal.org/conteudos/pdf/15/02.pdf>

MILMO, Cahal. The hard labour behind soft drinks. The Independent. Reino Unido, 24 Fev. 2012. <http://www.independent.co.uk/life-style/food-and-drink/features/the-hard-labour-behind-soft-drinks-7440046.html>

OIT. World of Work Report 2013 – Repairing the economic and social fabric. <http://www.oit.org.br/sites/default/files/topic/gender/doc/relatoriocompletowow13_1037.pdf>.

VASAPOLLO, Luciano. A precariedade como elemento estratégico determinante do capital. Pesquisa & Debate, São Paulo, v. 16, n. 2(28), p. 368-386, 2005.

WALKER, Shaun. Tobacco giant Philip Morris sold cigarettes made using child labour. The Independent. Reino Unido, 15 Jul. 2010. <http://www.independent.co.uk/news/world/asia/tobacco-giant-philip-morris-sold-cigarettes-made-using-child-labour-2026759.html>

Publicado

2016-08-31