Um modelo de mediação pedagógica para ambientes massivos

Autores

  • André Prisco Vargas FURG
  • Rafael Augusto Penna dos Santos FURG
  • Jean Bez UFRGS
  • Neilor Tonin URI
  • Silvia Silva da Costa Botelho FURG

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.95711

Palavras-chave:

ELO, modelos de avaliação, ambientes massivos.

Resumo

A personalização em ambientes educacionais demanda modelos próprios. Um
fator importante na mediação é apresentar objetos de aprendizagem que catalisem o aprendizado, respeitando as necessidades educacionais do estudante. Neste trabalho apresentamos um modelo de mediação amparado em um modelo pedagógico cognitivo. A ideia central do modelo é recomendar um objeto que desafie o estudante de modo adequado, sem que ele se sinta entediado com problemas semelhantes nem se desmotive ao se deparar com problemas além de sua capacidade. Utilizamos como estudo de caso um ambiente virtual de aprendizagem de programação. Os resultados apontam que, em geral, quando os estudantes escolhem problemas com ELOs mais próximos aos seus, eles têm melhores resultados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-07-28

Como Citar

PRISCO VARGAS, A.; AUGUSTO PENNA DOS SANTOS, R.; BEZ, J.; TONIN, N.; SILVA DA COSTA BOTELHO, S. Um modelo de mediação pedagógica para ambientes massivos. RENOTE, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 93–102, 2019. DOI: 10.22456/1679-1916.95711. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/95711. Acesso em: 4 jul. 2022.