Analisando a Participação e a Aprendizagem em Comunidades Virtuais a partir da Teoria de Barbara Rogoff.

Autores

  • Raphael A. Dourado CIn-UFPE
  • Candy E. Marques-Laurendon PPG Psicologia Cognitiva-UFPE
  • Rodrigo Lins Rodrigues Dept. Educação-UFRPE
  • Alex Sandro Gomes CIn-UPE

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.86041

Palavras-chave:

avaliação processual, comunidades virtuais, Barbara Rogoff.

Resumo

O avanço nas telecomunicações tem viabilizado formas cada vez mais sofisticadas de interação social entre indivíduos geograficamente distantes. Estes recursos têm sido utilizados para diversos fins, dentre eles viabilizar o surgimento das comunidades virtuais de aprendizagem. No entanto, ainda há uma carência de instrumentos que auxiliem na avaliação processual da aprendizagem nestes contextos. Neste artigo, é discutida a adequabilidade da teoria sociocultural de Barbara Rogoff, em especial a noção dos “planos de análise”, como estratégia para avaliar de forma processual a aprendizagem em comunidades virtuais. São apresentados os principais construtos da teoria, os trabalhos encontrados na literatura que a utilizam no contexto de comunidades virtuais, e as possibilidades de investigação ainda não exploradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-07-21

Como Citar

A. DOURADO, R.; E. MARQUES-LAURENDON, C.; LINS RODRIGUES, R.; SANDRO GOMES, A. Analisando a Participação e a Aprendizagem em Comunidades Virtuais a partir da Teoria de Barbara Rogoff. RENOTE, Porto Alegre, v. 16, n. 1, 2018. DOI: 10.22456/1679-1916.86041. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/86041. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Ambientes virtuais de aprendizagem