Uma experiência com alunos e professores de nível médio avaliando objetos de aprendizagem

Autores

  • Valéria Machado da Costa
  • Clevi E. Rapkiewicz
  • Maria Cristina Canela
  • Gláucia Ribeiro Gonzaga

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.14256

Palavras-chave:

inclusão digital, avaliação, objetos de aprendizagem,

Resumo

Com a popularização da Internet, a quantidade de material digital disponível para ser utilizada aumenta cada vez mais, inclusive na educação. Muitas vezes, porém, os usuários não têm parâmetros para saber se a fonte que estão consultando é de qualidade ou não. Uma das formas de optar por um material é o mesmo já ter sido avaliado por um par, isto é, alguém do mesmo nível ou da mesma área. Este artigo relata o desafio de inserir alunos de nível médio no contexto do processo de avaliação de objetos de aprendizagem. Após a avaliação de 55 objetos nas áreas de Química, Física, Matemática e Biologia disponíveis no repositório do RIVED, verificou-se, por um lado, a pertinência de alunos avaliarem material que eles próprios irão utilizar, e, póoutro, a influência do nível de inclusão digital dos alunos no processo de avaliação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-28

Como Citar

COSTA, V. M. da; RAPKIEWICZ, C. E.; CANELA, M. C.; GONZAGA, G. R. Uma experiência com alunos e professores de nível médio avaliando objetos de aprendizagem. RENOTE, Porto Alegre, v. 5, n. 2, 2007. DOI: 10.22456/1679-1916.14256. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/14256. Acesso em: 30 nov. 2022.