Um experimento para compreender como os aspectos afetivos podem ser reconhecidos em ambientes virtuais de aprendizagem

Autores

  • Magalí Teresinha Longhi UFRGS
  • Daniela Forgiarini Pereira
  • Magda Bercht UFRGS
  • Patrícia Alejandra Behar UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.13950

Palavras-chave:

Reconhecimento de emoções, estado de ânimo, objeto de aprendizagem, ambientes virtuais de aprendizagem

Resumo

Este artigo apresenta um estudo de caso realizado a partir da aplicação do objeto de aprendizagem AnimA-K para validar o modelo de estados afetivos dos alunos.
O modelo, baseado na teoria de appraisal de Scherer, foi elaborado para inferir os estados de ânimo durante o processo de aprendizagem mediado por ambientes virtuais de
ensino e aprendizagem. O experimento considera as interações dos alunos com o objeto de aprendizagem e analisa os comentários registrados na ferramenta Fórum. A representação formal adotada e os resultados obtidos são abordados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Alejandra Behar, UFRGS

Doutora em Ciência da Computação, professora da Faculdade de Educação/UFRGS, da Pós- Graduação em Informática na Educação (PGIE/UFRGS) e da Pós-Graduação em Educação (PPGEDU/UFRGS). Coordenadora do Núcleo de Tecnologia Digital aplicada à Educação, da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (NUTED/FACED/UFRGS).

Downloads

Publicado

2009-06-19

Como Citar

LONGHI, M. T.; PEREIRA, D. F.; BERCHT, M.; BEHAR, P. A. Um experimento para compreender como os aspectos afetivos podem ser reconhecidos em ambientes virtuais de aprendizagem. RENOTE, Porto Alegre, v. 7, n. 1, 2009. DOI: 10.22456/1679-1916.13950. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/13950. Acesso em: 9 dez. 2022.