Nomeações para cargos comissionados e grupos de interesse: usos, motivações e desafios retratados em pesquisas recentes

Autores

  • André Vaz Lopes Doutorando - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA/FACE/UnB; Analista Administrativo - Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa http://orcid.org/0000-0002-8929-2374
  • Diego Mota Vieira Professor Adjunto - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA/FACE/UnB https://orcid.org/0000-0003-1275-1648

Palavras-chave:

Nomeações públicas, nomeações políticas, altos funcionários públicos, cargos de livre nomeação, burocracia

Resumo

As nomeações públicas despertam o interesse de pesquisadores e gestores públicos já há bastante tempo, se tornando um campo importante para a compreensão das relações entre a política e a burocracia. A partir de uma revisão da literatura dos últimos 10 anos, este ensaio tem como objetivo discutir as principais motivações, critérios e desafios relacionados ao processo de escolha para os cargos públicos de livre nomeação, propondo um avanço na teoria sobre o tema, para que sejam discutidas as relações de atores externos ao setor público com os processos de nomeações públicas. Os resultados da revisão mostram que o controle político é a principal motivação abordada na literatura recente, e a lealdade ao governante é o mais importante critério de escolha, indicando como grande desafio, conciliar a influência política e a meritocracia no processo de nomeação. Os estudos se concentram na participação dos políticos e dos burocratas no processo de nomeação, como se considerassem que apenas estes atores influenciam e são influenciados pela escolha dos altos funcionários públicos. No entanto, outros grupos de interesse também participam, contribuindo tanto para a escolha individual dos altos funcionários públicos quanto para o contorno das instituições que regulam o processo de nomeação. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Vaz Lopes, Doutorando - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA/FACE/UnB; Analista Administrativo - Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa

Doutorando em Administração na Universidade de Brasília (UnB), Mestre em Saúde Pública, com área de concentração em Desenvolvimento e Políticas Públicas (Ensp/Fiocruz) e Graduado em Administração com habilitação em Administração Pública (UDF). Cursou ainda especialização em Vigilância Sanitária (Ensp/Fiocruz) e MBA em Gestão Estratégica do Setor Público (UDF). É servidor público federal, ocupante do cargo efetivo de Analista Administrativo na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), onde trabalha desde 2001, tendo exercido diversas funções como Coordenador de Desenvolvimento de Recursos Humanos, Assessor do Diretor-Presidente, Superintendente de Gestão Interna e assessor da Diretoria de Gestão Institucional.

Diego Mota Vieira, Professor Adjunto - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA/FACE/UnB

Doutor em Administração com ênfase em administração pública e políticas públicas pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente é Professor Adjunto vinculado ao Departamento de Administração da UnB e também atua no Programa de Pós-graduação em Administração (PPGA) da Universidade de Brasília. Foi coordenador do curso de graduação noturno de Administração da UnB (2014/2015). Coordena o Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Departamento de Administração e o Grupo de Pesquisa em Governo e Políticas Públicas. Seus principais temas de interesse em pesquisa são: redes de políticas públicas, modelos de análise de stakeholders e coalizões de defesa, empreendedorismo político e institucional, mudança institucional e análise de discurso crítica.

Publicado

2020-08-18

Como Citar

Lopes, A. V., & Vieira, D. M. (2020). Nomeações para cargos comissionados e grupos de interesse: usos, motivações e desafios retratados em pesquisas recentes. Revista Eletrônica De Administração, 26(2), 439–462. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/97872

Edição

Seção

Artigos