INCUBADORAS DE NEGOCIOS EN RED: CAPITAL INTELECTUAL DE INCUBADORAS DE NEGOCIOS DE AMÉRICA LATINA Y LA RELACIÓN CON SU ÉXITO

Autores

Palavras-chave:

Capital intelectual. Incubadoras de negocios. Incubadora en red.

Resumo

En el presente estudio se realiza un análisis del capital intelectual de incubadoras de negocios a nivel latinoamericano y los efectos de distintos indicadores con respecto al éxito de una incubadora de negocios (encontrarse en algún ranking), basados en un modelo de capital intelectual con la visión de incubadora en red. Para ello se trabaja con el modelo intellectus, debido a que es considerado uno de los modelos más completos, comprensible y sencillo de aplicar, además de profundizar en los activos intangibles de las organizaciones, el cual es el objetivo del estudio.  Se analizaron 39 incubadoras de negocios de siete países diversos, donde se encuentran: Argentina, Bolivia, Chile, México, Paraguay, Perú y Uruguay, también se consideró respuestas de 59 colaboradores de las mismas incubadoras. Finalmente las evidencias indican que número de incubados, incubados con ventas en el extranjero, total de ventas, alianzas nacionales e internacionales, y alianzas públicas o privadas y rotación de empleados, influyen positivamente en éxito de una incubadora, encontrarse en un ranking de medición. Futuras investigaciones deberían reformular los indicadores considerados y a la vez incluir más indicadores del capital humano y del capital estructural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camilo Peña Ramírez, Universidade de São Paulo

Doutoranda em administração pela Universidade de São Paulo. Mestre (2015) e Graduada (2011) em Administração pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Especialista em Educação e Tecnologias (2018) pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Atua na área da Administração, pesquisando os temas educação executiva, metodologias ativas (jogos de empresas), educação a distância e híbrida e soft skills. É professora assistente no Programa de Estudos do Futuro (PROFUTURO) e no Programa de Gestão Estratégica de Pessoas (PROGEP) da Faculdade FIA. Desenvolve atividades de monitoria e estágio docente nas disciplinas da graduação da FEA-USP (2017-2019). Membro do Grupo de Pesquisa Laboratório de Gestão Organizacional Simulada (LAGOS), onde exerceu atividades de ensino, pesquisa e extensão (2008-2016). Membro do Grupo de Estudos do Futuro (PROFUTURO). Membro do Grupo de Excelência Processo Prospectivo e Construção de Cenários (GEPC). Foi professora substituta na área de Administração Geral na UFF (2014-2016). Foi orientadora nos cursos de Administração Pública do PNAP-UFF (2015-2018). Foi tutora no curso de Administração Pública do CEDERJ (2012-2018). Desenvolveu atividades de pesquisa e apoio técnico no Laboratório de Multi-Aplicações em Gestão (LAMAG). Atuou como agente supervisora no IBGE (2010). Publicou 13 trabalhos em periódicos na área da Administração, 33 trabalhos em anais de evento e 2 capítulos de livros. Orientou 20 trabalhos de especialização, 8 trabalhos de graduação. Participou de 17 bancas de especialização, 38 bancas de graduação. É revisora de periódicos, contribui para avaliações em eventos importantes na área da Administração no Brasil e apóia o Congresso de Administração, Sociedade e Inovação (CASI) na coordenação de Ensino e Pesquisa.

Sheila Serafim da Silva, Universidade de são Paulo FEA/USP

Doutoranda em administração pela Universidade de São Paulo. Mestre (2015) e Graduada (2011) em Administração pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Especialista em Educação e Tecnologias (2018) pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Atua na área da Administração, pesquisando os temas educação executiva, metodologias ativas (jogos de empresas), educação a distância e híbrida e soft skills. É professora assistente no Programa de Estudos do Futuro (PROFUTURO) e no Programa de Gestão Estratégica de Pessoas (PROGEP) da Faculdade FIA. Desenvolve atividades de monitoria e estágio docente nas disciplinas da graduação da FEA-USP (2017-2019). Membro do Grupo de Pesquisa Laboratório de Gestão Organizacional Simulada (LAGOS), onde exerceu atividades de ensino, pesquisa e extensão (2008-2016). Membro do Grupo de Estudos do Futuro (PROFUTURO). Membro do Grupo de Excelência Processo Prospectivo e Construção de Cenários (GEPC). Foi professora substituta na área de Administração Geral na UFF (2014-2016). Foi orientadora nos cursos de Administração Pública do PNAP-UFF (2015-2018). Foi tutora no curso de Administração Pública do CEDERJ (2012-2018). Desenvolveu atividades de pesquisa e apoio técnico no Laboratório de Multi-Aplicações em Gestão (LAMAG). Atuou como agente supervisora no IBGE (2010). Publicou 13 trabalhos em periódicos na área da Administração, 33 trabalhos em anais de evento e 2 capítulos de livros. Orientou 20 trabalhos de especialização, 8 trabalhos de graduação. Participou de 17 bancas de especialização, 38 bancas de graduação. É revisora de periódicos, contribui para avaliações em eventos importantes na área da Administração no Brasil e apóia o Congresso de Administração, Sociedade e Inovação (CASI) na coordenação de Ensino e Pesquisa.

Marcelo Gonçalves do Amaral, Universidade Federal Fluminense/UFF-ICHS

Marcelo Amaral é bacharel em Ciências Econômicas pelo Instituto de Economia da UFRJ, mestre e doutor em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ, e pós-doutor pela Escola Politécnica da USP. Foi professor visitante na North Carolina State University e pesquisador visitante do Research Triangle Park nos Estados Unidos. Especialista em Gestão de Projetos de Inovação Tecnológica, certificado pela International Association of Innovation Professionals (IAOIP), atuou entre 1999 e 2006 em instituições como Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (CEPEL), Federação das Indústrias do Estado do RJ (FIRJAN) e Centro de Tecnologia Mineral (CETEM). Foi empresário, tendo sido sócio das empresas CAN Eventos, AMG Research & Project, Rio BMF (Mr Quandt) e iSzabo Consulting; e consultor de empresas e de projetos de desenvolvimento regional. Desde 2006, é professor do Departamento de Administração do Instituto de Ciências Humanas e Sociais (www.ichs.uff.br), unidade da Universidade Federal Fluminense. É professor do Consórcio CEDERJ, de diversos cursos de especialização e MBAs, e credenciado do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA), do Programa de Pós-Graduação em Administração Pública (PROFIAP) e do Doutorado em Direito Administrativo. Entre 2009 e 2010 atuou no International Institute of Triple Helix, em Madri, Espanha, onde organizou a VIII Triple Helix Conference. Entre 2011 e 2014 foi diretor do ICHS/UFF, vice-diretor entre 2015 e 2017 e novamente Diretor entre 2017 e 2018. O pesquisador tem 23 anos de experiência em pesquisa tendo integrado e coordenado projetos de pesquisa financiados por FAPERJ, CNPQ, CAPES, FAPESP, FINEP, NSF e SIU. Desde 2008 lidera o Triple Helix Research Group (www.triple-helix.uff.br) e publicou mais de 50 trabalhos científicos em congressos, periódicos e livros, além de ser revisor de periódicos e membro de vários comitês científicos e editoriais. É membro do Comitê de Honra da World Complexity Science Academy (WCSA), do Painel Científico da International Society for Professional Innovation (ISPIM) e do Comitê Executivo da Triple Helix Association (THA). Seus principais interesses de pesquisa e trabalho estão no campo da gestão da inovação, especificamente em temas como estratégia empresarial, empreendedorismo, gestão de projetos, direito da propriedade industrial, desenvolvimento econômico, políticas de ciência, tecnologia e inovação, incubadoras e parques tecnológicos, transferência de conhecimento e tecnologia, e as abordagens da Triple e Quintuple Helix.

Downloads

Publicado

2019-08-29

Como Citar

Ramírez, C. P., Mora, B. A. A., Silva, S. S. da, & Amaral, M. G. do. (2019). INCUBADORAS DE NEGOCIOS EN RED: CAPITAL INTELECTUAL DE INCUBADORAS DE NEGOCIOS DE AMÉRICA LATINA Y LA RELACIÓN CON SU ÉXITO. Revista Eletrônica De Administração, 25(2), 96–118. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/90041

Edição

Seção

Especial: contribuições da administração para superar a crise na pandemia