SOBREVIVÊNCIA E MORTALIDADE DAS ATIVIDADES PRODUTIVAS NO SEGMENTO DE BAIXA RENDA

Autores

  • Jaqueline Silva Melo Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG)
  • Glaucia Maria Vasconcellos Vale Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Victor Silva Corrêa Universidade Paulista

Resumo

O segmento informal, concentrado em comunidades de baixa renda, vem adquirindo crescente importância no Brasil e no mundo. Sua lógica, no entanto, permanece pouco compreendida. Nesse contexto, um tema relevante diz respeito à temática de sobrevivência e mortalidade dessas unidades produtivas informais. Embora existam pesquisas sobre o tema da mortalidade, estas são voltadas, exclusivamente, para a análise de empresas formalmente constituídas. O presente trabalho propõe, a partir de revisão crítica e adequação da literatura existente, um modelo analítico para investigação das causas de sobrevivência e mortalidade nesse segmento, centrado em três categorias básicas - indivíduo, atividade, ambiente. O modelo é testado na análise de quatro atividades produtivas urbanas (duas ativas e duas extintas), com resultados positivos. Destacam-se, entre eles, que os fatores experiência prévia, dedicação e personalidade do indivíduo, além da sua noção de concorrência como fonte de estímulo e aprendizado, foram importantes para a sobrevivência. Observa-se, no entanto, que tais empreendimentos são dotados de lógica peculiar, exigindo não apenas algumas revisões conceituais como, também, novas pesquisas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Silva Melo, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG)

Mestre em Administração pela PUC Minas. É pós-graduada em Engenharia de Produção e em Gerenciamento de Projetos pela Faculdade Pitágoras. Possui graduação em Fisioterapia, é graduanda em Administração pela PUC Minas. Atualmente é Supervisora de Logística e Infraestrutura da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - Unidade Betim, Coordenadora Adjunta e professora do Curso de Especialização em Gerenciamento de Projetos do IEC - Instituto de Educação Continuada da PUC Minas.

Glaucia Maria Vasconcellos Vale, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Pesquisadora Convidada, Université Paris IV (PARIS-SORBONNE, 2010/2011); Pós-doutorado, Sociologia Econômica (Sorbonne); Doutora em Administração (UFLA), com mestrado em Economia Internacional (Paris I- Phantéon/Sorbonne); Professora Adjunta do Mestrado e Doutorado/ PUC Minas (NOTA 5 CAPES); Coordenadora do NUPERE - Núcleo de Pesquisa em Empreendedorismo e Redes Organizacionais/ PPGA/PUC Minas; Editora científica da RAE/ Fundação Getúlio Vargas. Foi executiva do Sistema SEBRAE (1982-2006), responsável pela coordenação de dezenas de pesquisas nacionais, incluindo em parceria com IBGE, FGV, UFRJ, USP e entidades externas (Banco Mundial, Université de Quebec aux Trois Riviére, etc.). Coordenou uma série de pesquisas conjunturais sobre pequenas empresas, publicadas trimestralmente pela revista Conjuntura Econômica/ Fundação Getúlio Vargas, e uma série de pesquisas Sebrae Nacional/ Folha de São Paulo, publicadas periodicamente no caderno Tudo/ Jornal Folha de São Paulo. Foi articulista dos jornais Folha de São Paulo, Estado de Minas e Gazeta Mercantil. Experiências internacionais incluem atividades na União Europeia, Japão, Angola, França, Mercosul, GATT e UNCTAD/ Nações Unidas, tendo atuado, nos dois últimos casos, como especialista designada pelo Governo Brasileiro. No âmbito científico/ acadêmico recebeu duas vezes o concorrido PRÊMIO CAPES DE TESE: 2007 como autora (Melhor Tese de Doutorado realizada no Brasil na área ); 2017 como orientadora (Melhor Tese de Doutorado); em 2010 premiada (melhor artigo, co-autoria) V ENCONTRO EGEPE. No âmbito cultural foi contemplada com os prêmios: III Concurso Internacional de Poesia 2015/ ALACIB; XXVI Concurso de Poesia/ ALAP 2015; 16ª Concurso de Poesia da Universidade Federal de São João del Rey 2016; finalistas do Prêmio Off Flip de Literatura/ 15ª Festa Literária Internacional de Paraty 2017; Prêmio Vicente de Carvalho/ Concurso Internacional de Literatura da UBE - União Brasileira de Escritores 2017. Áreas de interesse de pesquisa incluem: redes, capital social e competitividade; estratégias de cooperação; estratégias empreendedoras; empreendedorismo e religião; empreendedorismo e gênero; empreendedorismo e desenvolvimento; mortalidade de empresas

Victor Silva Corrêa, Universidade Paulista

Possui Pós-Doutorado em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). É Doutor e Mestre em Administração (Conceito 5), Especialista em marketing e Graduado em Comunicação Social - Jornalismo e Relações Públicas - pela mesma instituição. Integra o Núcleo de Docentes Permanentes (NDP) do Programa de Pós-Graduação em Administração da UNIP (Mestrado em Administração). Autor da tese de administração eleita pela Capes a melhor do Brasil em 2016. Vencedor do PRÊMIO CAPES DE TESE 2017 na área de Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo. É revisor Ad hoc de diversos periódicos científicos, tais como Revista de Administração Contemporânea (RAC), Revista de Administração da Unimep, entre outros. Pesquisador do Núcleo em Empreendedorismo e Redes Empresariais (NUPERE/PUC Minas). Possui experiência nos campos da comunicação e da administração, atuando principalmente nos seguintes temas: inovação, empreendedorismo, orientação empreendedora, redes sociais, redes empresariais, análise das redes sociais, capital social, sociologia econômica e imersão. 

Downloads

Publicado

2018-12-11

Como Citar

Melo, J. S., Vale, G. M. V., & Corrêa, V. S. (2018). SOBREVIVÊNCIA E MORTALIDADE DAS ATIVIDADES PRODUTIVAS NO SEGMENTO DE BAIXA RENDA. Revista Eletrônica De Administração, 24(3), 130–154. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/83793

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)