SINDICALISMO E PRODUÇÃO FLEXÍVEL NO SETOR AUTOMOTIVO: COOPTAÇÃO E FRAGMENTAÇÃO INSTITUCIONAL NO SUL FLUMINENSE

Autores

  • Pedro Luiz Maitan Filho Universidade do Grande Rio - Unigranrio
  • Ana Lucia Guedes Fundação Getúlio Vargas - FGV

Palavras-chave:

trabalho, sindicato, produção flexível, indústria automotiva

Resumo

Os sindicatos dos trabalhadores do setor automotivo protagonizam, nas últimas décadas, discussões sobre a expansão do modelo de produção flexível e, concomitantemente, a ampliação de condições de trabalho desregulamentadas em subsidiárias de montadoras no sul fluminense. Pesquisas sobre a fragmentação institucional das centrais sindicais, a influência do lobby corporativo e a cooptação dos sindicalismos regionais em arranjos políticos, têm possibilitado um diálogo transversal entre pesquisadores de países anfitriões do regime automotivo da segunda metade do século XX. Delimitado a uma região distanciada dos maiores centros industriais brasileiros, o artigo tenciona aprofundar discussões sobre atuação dos sindicatos em regiões industrializadas a partir da redistribuição espacial das montadoras em território nacional. Os resultados produzidos por entrevistas com profissionais da subsidiária estão organizados em três subcategorias fundamentadas na revisão de literatura: (a) relação entre atuação sindical e recorte regional; (b) divergência de pautas entre sindicato metalúrgico e temas específicos da montadora, e (c) uso político do sindicato por meio de cooptação. Os resultados mostram, predominantemente, prejuízos para acordos coletivos e condições de trabalho; impressão de perfil profissional do sindicato desalinhado das demandas na subsidiária; e, desconfianças quanto a tratativas entre sindicato e empresa. Esses aspectos sugerem generalizações analíticas da pesquisa qualitativa no sul fluminense para outras subsidiárias em greenfields automotivos; sobretudo na identificação de mecanismos que dispersam a representação institucional dos sindicatos na indústria automotiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Luiz Maitan Filho, Universidade do Grande Rio - Unigranrio

Doutorando em Administração pela Unigranrio

Mestre em Gestão e Estratégia pela UFRRJ

Especialista em Gerenciamento de Projetos pela UFRJ

Endereço: Rua da Lapa, 86 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20021-180 – Telefone: (21) 3219.4040

Pesquisa relações de trabalho no setor automotivo com ênfase na redistribuição espacial das montadoras em território nacional. Focaliza transformações nas relações de trabalho em montadoras do sul-fluminense. Publicações recentes: Relações de poder e controle na indústria automobilística. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração (UFF), v. 9, p. 129-141, 2015; Reconfiguração estrutural em montadora francesa: implicações para o trabalho industrial. Sociedade, Contabilidade e Gestão (UFRJ), v. 12, p. 93-110, 2017.

Ana Lucia Guedes, Fundação Getúlio Vargas - FGV

Ph.D. em Relações Internacionais - London School of Economics and Political Science - LSE

Endereço: Centro Empresarial Rio - Praia de Botafogo, 228 - Rio de Janeiro - RJ, 22250-906

Pesquisadora da Diretoria de Análise de Políticas Públicas (DAPP) da Fundação Getúlio Vargas; Bolsista IPEA projeto Desafios da Nação Chamada Pública nº 107/2016 - Financiamento do Desenvolvimento. Publicações recentes: Gestão internacional de recursos humanos: adaptabilidade intercultural na expatriação de brasileiros. Internext (São Paulo), v. 11, p. 6-20, 2016; International environmental NGOs and the politics of genetically modified organisms. Critical Perspectives on International Business, v. 13, p. 23-37, 2017.

Downloads

Publicado

2018-04-17

Como Citar

Maitan Filho, P. L., & Guedes, A. L. (2018). SINDICALISMO E PRODUÇÃO FLEXÍVEL NO SETOR AUTOMOTIVO: COOPTAÇÃO E FRAGMENTAÇÃO INSTITUCIONAL NO SUL FLUMINENSE. Revista Eletrônica De Administração, 24(1), 149–178. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/75917

Edição

Seção

Artigos