UNIVERSIDADES CORPORATIVAS: MODISMO OU INOVAÇÃO?

Autores

  • Carmem Grisci Universidade Federal do rio Grande do Sul - Porto Alegre, RS
  • Normélio Dengo Universidade Federal do rio Grande do Sul - Porto Alegre, RS

Palavras-chave:

Universidades corporativas, modismo,

Resumo

Este artigo resulta de uma pesquisa que buscou identificar e analisar algumas bases teórico-empíricas que sustentam o modelo de Universidade Corporativa (UC), descrever a imagem da UC na mídia especializada, bem como verificar se seus procedimentos estão alinhados com o conceito proposto por Meister (1999).Trata-se de uma pesquisa exploratória com base em exemplos ilustrativos acerca de como se caracterizam a implantação e o desenvolvimento da UC, bem como de um estudo de caso em uma empresa do setor financeiro. Os sujeitos são usuários e clientes internos ou externos das UC, e a coleta de dados deu-se através de fontes documentais, entrevistas semi-dirigidas e aplicação de questionários pessoalmente ou via Internet. A análise dos dados deu-se à luz da literatura pertinente e de tratamento estatístico parametrizado via software "Sphinxs". Os resultados indicam que as UC, implantadas ou em fase de implantação no Brasil, caracterizam-se como unidades internas de educação que sistematizam o treinamento e promovem o desenvolvimento em moldes que não se distanciam, de todo, dos centros de T&D. Do modo como se apresentam , as UC encontram-se distantes, inclusive, da proposta teórica de Meister (1999), configurando-se mais como um modismo do que uma inovação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-09-16

Como Citar

Grisci, C., & Dengo, N. (2013). UNIVERSIDADES CORPORATIVAS: MODISMO OU INOVAÇÃO?. Revista Eletrônica De Administração, 9(5). Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/42648