REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO: O MUNDO DO TRABALHO EM TRANSFORMAÇÃO

Autores

  • José Henrique de Faria Universidade Federal do Paraná - Curitiba, PR
  • Antonio Kremer Universidade Federal do Paraná - Curitiba, PR

Palavras-chave:

Trabalho, precarização do trabalho, reestruturação produtiva

Resumo

Este artigo analisa as relações entre os processos de reestruturação produtiva e de precarização do trabalho. As dimensões de análise privilegiadas são: (i) desemprego; (ii) vínculos empregatícios; (iii) preço da força de trabalho; (iv) qualidade dos postos de trabalho. Os resultados indicam que a base técnica característica do regime de acumulação flexível é poupadora de mão-de-obra, o que contribui para o aumento do desemprego estrutural. Os vínculos empregatícios formais tendem a se tornar mais tênues, assim como, a participação do trabalho informal no total da mão-de-obra ocupada apresenta uma trajetória de crescimento. No que se refere ao preço da força de trabalho, é observado uma tendência declinante no decorrer da última década. O processo de reestruturação produtiva contribui para a deterioração da qualidade dos postos de trabalho, através da intensificação do trabalho nos espaços fabris, promovida pela redução dos ciclos de operação, operação simultânea de um conjunto de máquinas, entre outros. A intensificação do trabalho, aliada a extensão da jornada contribui para elevar o risco do trabalhador desenvolver doenças ocupacionais relacionadas à LER/DORT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Henrique de Faria, Universidade Federal do Paraná - Curitiba, PR

Antonio Kremer, Universidade Federal do Paraná - Curitiba, PR

Downloads

Publicado

2013-07-31

Como Citar

de Faria, J. H., & Kremer, A. (2013). REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO: O MUNDO DO TRABALHO EM TRANSFORMAÇÃO. Revista Eletrônica De Administração, 10(5). Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/41500