O PAPEL DA EDUCAÇÃO NA SOCIEDADE E ORGANIZAÇÕES MODERNAS: CRITICANDO A MERITOCRACIA

Autores

  • Diogo Henrique Helal UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Meritocracia, Educação, Modernidade, Organizações, Burocracia

Resumo

Apresenta-se uma reflexão teórica sobre o papel da educação formal na sociedade e organizações modernas. Mostra-se, inicialmente, a relação intrínseca entre o modelo burocrático e a modernidade. Em seguida, destaca-se o entendimento dos teóricos da estratificação social sobre a temática (da visão clássica – Marx e Weber – à contemporânea – a partir de Parsons). Discute-se também a leitura que Parsons fez da teoria weberiana, que levou à proposição da chamada hipótese meritocrática - sistemas de estratificação social caminham, em decorrência dos processos de modernização, para estruturas mais permeáveis, com menores níveis de transmissão intergeracional do status. São apresentadas críticas a esta hipótese, questionando o papel da educação como equalizador de oportunidades sociais. Tais críticas, baseadas na perspectiva da reprodução social, no credencialismo, na concepção da educação como uma instituição, e na teoria do capital social, ressaltam o fato de que atributos ligados à família e à origem social não têm perdido importância na sociedade moderna. Tal conclusão mostra que outros elementos, que não apenas aqueles ligados ao esforço próprio e ao mérito (educação) são relevantes nas organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-05-13

Como Citar

Helal, D. H. (2013). O PAPEL DA EDUCAÇÃO NA SOCIEDADE E ORGANIZAÇÕES MODERNAS: CRITICANDO A MERITOCRACIA. Revista Eletrônica De Administração, 13(2), 386–408. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/39926