A RELAÇÃO ENTRE OS MODELOS MENTAIS DOS EMPREENDEDORES E O DESEMPENHO ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO EM DUAS EMPRESAS DO SETOR METAL-MECÂNICO

Autores

  • Deonir De Toni Universidade de Caxias do Sul – UCS/Brsil
  • Gabriel Sperandio Milan Universidade de Caxias do Sul – UCS/Brasil

Palavras-chave:

modelos mentais, empreendedorismo, competência, estratégia, desempenho organizacional

Resumo

Além da estrutura competitiva de mercado e demais fatores externos, as organizações também estão expostas às influências internas. Dentre estas influências, destaca-se a interferência dos modelos mentais dos empreendedores como guia propulsor da performance das organizações. Para Le Boterf (2003), os modelos mentais podem auxiliar na construção da competência para facilitar a dinâmica estratégica da mudança e da inovação. Sendo assim, o objetivo central do trabalho é identificar como os denominados elementos ocultos, como é o caso dos modelos metais e das competências dos empreendedores, podem contribuir para o desempenho organizacional. Para tanto, foram desenvolvidos dois estudos de caso em empresas com características semelhantes em sua fundação, com a aplicação de entrevistas individuais em profundidade, comparando-se os modelos mentais de seus empreendedores e suas implicações. Os resultados evidenciam que há uma diferença marcante nos modelos mentais dos empreendedores analisados e que tal diferença pode explicar o porquê de desempenhos tão diferentes entre as duas empresas ao longo do tempo. É possível inferir, então, que os modelos mentais dos empreendedores, interligados às suas competências, às estratégias adotadas e aos recursos disponíveis influenciam o desempenho organizacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-04-26

Como Citar

De Toni, D., & Sperandio Milan, G. (2013). A RELAÇÃO ENTRE OS MODELOS MENTAIS DOS EMPREENDEDORES E O DESEMPENHO ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO EM DUAS EMPRESAS DO SETOR METAL-MECÂNICO. Revista Eletrônica De Administração, 14(3), 622–649. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/39368