RELAÇÕES ENTRE INOVAÇÃO E ROTINA: EVIDÊNCIAS DE UM CASO EMPÍRICO

Autores

  • Uajará Pessoa Araújo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais/MG/Brasil
  • Sandro Cabral Universidade Federal da Bahia / SENAI CIMATEC/BA/Brasil

Palavras-chave:

aprendizado organizacional, teoria evolucionista, inovação

Resumo

As empresas têm recorrido às inovações como forma de sobreviverem no atual contexto competitivo. Em um ambiente inovativo, a rotina é eventualmente percebida mais como barreira a ser vencida do que como elemento facilitador da inovação. Assim contextualizado, entender a relação entre inovação e rotina é o objetivo deste trabalho que se valeu de uma empresa inovadora para um estudo de caso longitudinal com múltiplas unidades de análise, empregando um modelo baseado na aprendizagem organizacional como instrumental analítico. Com base nos construtos teóricos e na observação da realidade, é possível confirmar o antagonismo entre a rotina e a inovação. No entanto, dentro dos limites do caso analisado, tal relação ocorreu de forma reversa ao indicado por Schumpeter, na medida em que a excessiva importância conferida aos processos de inovação acabou por dificultar o andamento da rotina. Ao final, sugere-se que um melhor equilíbrio entre rotina e inovação pode representar oportunidades interessantes para as organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-04-24

Como Citar

Pessoa Araújo, U., & Cabral, S. (2013). RELAÇÕES ENTRE INOVAÇÃO E ROTINA: EVIDÊNCIAS DE UM CASO EMPÍRICO. Revista Eletrônica De Administração, 14(2), 316–339. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/39277