AS CONTRIBUIÇÕES DOS CONCEITOS E MODELOS DE REDES ORGANIZACIONAIS NO SETOR VAREJISTA: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO EM PEQUENOS SUPERMERCADOS NO ESTADO DA PARAÍBA

Autores

  • Verônica Macário de Oliveira Universidade Federal da Paraíba – PB / Brasil
  • Gesinaldo Ataíde Cândido Universidade Federal de Campina Grande – PB / Brasil

Palavras-chave:

redes, varejo, broker, cadeia de suprimentos

Resumo

Como decorrência do processo de reestruturação capitalista, o modelo racional-burocrático de gestão não atende mais a complexidade das relações existentes entre organização e ambiente. Desta forma, as redes surgem como um dos novos formatos organizacionais para atender às expectativas de um mercado com diferentes demandas, compartilhando recursos, informações e conhecimentos. Nesse cenário, surge o broker, agente intermediário na construção de novas redes empresariais. Este trabalho se propõe a identificar as vantagens que as empresas participantes de uma rede varejista de supermercados podem obter associando-se a uma rede com uma marca padrão que atua como um broker, apresentando um estudo exploratório sobre as contribuições dos conceitos e modelos de redes organizacionais na Rede Smart, no estado da Paraíba, que possui este formato de atuação. Os resultados demonstram as vantagens dessa nova forma de atuação, apresentadas em três dimensões que foram analisadas: 1) serviços oferecidos pelo broker aos varejistas associados; 2) capacidade competitiva das empresas associadas e; 3) aspectos da gestão na rede. As conclusões do trabalho indicam a importância da adoção desse novo formato para os varejistas, apresentando as vantagens e as possibilidades de ganhos para os membros que compõem a rede.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-04-18

Como Citar

Macário de Oliveira, V., & Cândido, G. A. (2013). AS CONTRIBUIÇÕES DOS CONCEITOS E MODELOS DE REDES ORGANIZACIONAIS NO SETOR VAREJISTA: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO EM PEQUENOS SUPERMERCADOS NO ESTADO DA PARAÍBA. Revista Eletrônica De Administração, 15(3), 702–728. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/39031