CONSERVADORISMO CONDICIONAL: REQUISITO PARA A QUALIDADE DOS LUCROS E PARA A EFICIÊNCIA INFORMACIONAL DA CONTABILIDADE

Autores

  • Antonio Carlos Dias Coelho Universidade Federal do Ceará – CE / Brasil
  • Iran Siqueira Lima Universidade de São Paulo – SP / Brasil

Palavras-chave:

Conservadorismo Condicional, Qualidade dos Lucros, Regulamentação Contábil, Assimetria Informacional, Eficiência Informacional

Resumo

Este ensaio objetiva efetuar revisão sobre conceitos subjacentes ao princípio do conservadorismo contábil, quando aplicado incondicionalmente na forma brasileira. O estudo foi desenvolvido com base na abordagem positiva da contabilidade pela qual a existência de incentivos econômicos e não a mera estrutura técnica e normativa é que leva os gestores às decisões contábeis; assume-se assimetria informacional entre gestores e usuários da informação contábil. A eficiência informacional será função da atitude de potencial oportunismo dos gestores, da racionalidade limitada dos agentes econômicos e da estrutura de enforcement do ambiente jurídico. A utilização da contabilidade para monitoramento contratual na firma será determinada pela antecipação assimétrica e tempestiva de perdas econômicas e pela verificabilidade dos relatórios contábeis. Apresentam-se críticas à maneira de considerar o conservadorismo incondicional, apenas dependente da incerteza quanto à ocorrência de fatos no futuro; ao contrário, indica que a eficiência informacional da contabilidade estará atrelada à condicionalidade de efetuar registros de perdas econômicas na presença de sinais de mau desempenho atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-04-18

Como Citar

Dias Coelho, A. C., & Siqueira Lima, I. (2013). CONSERVADORISMO CONDICIONAL: REQUISITO PARA A QUALIDADE DOS LUCROS E PARA A EFICIÊNCIA INFORMACIONAL DA CONTABILIDADE. Revista Eletrônica De Administração, 15(3), 627–652. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/39022