PAPEL DAS RELAÇÕES INTERORGANIZACIONAIS E DA CAPACIDADE DE INOVAÇÃO NA PROPENSÃO PARA EXPORTAR

Autores

  • Dirk Michael Boeche Instituto de Ensino e Pesquisa Insper - SP / Brasil
  • Fabiano Larentis Universidade de Caxias do Sul - RS / Brasil
  • Deonir De Toni Universidade de Caxias do Sul - RS / Brasil
  • Adilene Álvares Mattia Universidade de Caxias do Sul – RS / Brasil

Palavras-chave:

exportação, inovação, recursos e capacidades, setor moveleiro, colaboração interorganizacional.

Resumo

Os recursos organizacionais, como fatores internos que impulsionam o desempenho das organizações, constituem também uma base conceitual para explicar a propensão para exportar das organizações. Esta pesquisa apresenta algumas hipóteses em que alguns recursos, tais como a capacidade de inovação, o tamanho da empresa, a afiliação da empresa a uma associação local, a orientação para o mercado e a capacidade de relacionamento com fornecedores, são positivamente associados com a propensão para exportar. Utilizando-se da técnica de regressão logística multinominal e de cruzamentos com testes Chi2; em uma amostra de 223 empresas do setor moveleiro do Rio Grande do Sul, sendo 96 exportadoras e 127 não-exportadoras, identificaram-se dois grandes fatores relevantes na propensão para exportar: o tamanho das e as relações interorganizacionais locais. Com base nos resultados, ressalta-se que, dentre os recursos estudados, as relações interorganizacionais locais são provavelmente mais importantes, pois podem possibilitar às empresas o acesso a diversos outros tipos de recursos e capacidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-04-01

Como Citar

Boeche, D. M., Larentis, F., De Toni, D., & Álvares Mattia, A. (2011). PAPEL DAS RELAÇÕES INTERORGANIZACIONAIS E DA CAPACIDADE DE INOVAÇÃO NA PROPENSÃO PARA EXPORTAR. Revista Eletrônica De Administração, 17(1), 86–116. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/38702

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>