INTERNACIONALIZAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS

Autores

  • Fabiano Manfio Universidade Federal do Paraná – Curitiba, PR / Brasil
  • João Carlos da Cunha Universidade Federal do Paraná – Curitiba, PR / Brasil

Palavras-chave:

Institutos de Pesquisas Tecnológicas, Internacionalização, Atividades de Internacionalização, Resultados da Internacionalização

Resumo

O estudo da internacionalização das organizações emerge do processo de interação e troca entre organizações de diferentes países, em especial nas organizações comerciais e industriais. O foco deste estudo é a internacionalização dos Institutos de Pesquisas Tecnológicas – IPTs. Os estudos de caso foram realizados em três instituições: Instituto Brasileiro  de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos – IBTeC -, Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento – LACTEC e Instituto de Pesquisa Tecnológica do Estado de São Paulo – IPT®. A operacionalização da pesquisa ocorreu por meio de entrevistas semiestruturadas realizadas com diretores e pesquisadores, análise documental com material  institucional de divulgação, relatórios de gestão, relatórios técnicos e outros documentos administrativos e observação direta por ocasião das visitas às instituições. As análises mostraram que as principais ações de internacionalização dos Institutos de Pesquisas Tecnológicas – IPTs -  pesquisados ocorrem a partir das relações pessoais de seus pesquisadores. A internacionalização acontece principalmente em atividades de qualificação técnica, ficando as parcerias formais e a venda de serviços em segundo plano. Os resultados revelaram também uma grande diversidade de atividades internacionais desenvolvidas, contudo essas atividades caracterizam-se como de “baixa intensidade” quando comparadas com as atividades desenvolvidas pelos IPTs no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-01

Como Citar

Manfio, F., & da Cunha, J. C. (2012). INTERNACIONALIZAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS. Revista Eletrônica De Administração, 18(1), 242–271. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/38465

Edição

Seção

Estudos de Caso