Economia plural em ecovilas

para além da monocultura da mente

Autores

Palavras-chave:

Comunidades intencionais, Ecovilas, Economia plural, Agroecologia

Resumo

Este artigo objetiva sistematizar práticas de pluralidade econômica tomando como base empírica propósitos de autossuficiência em ecovilas e, como referência teórica, elementos de economia solidária, plural em Polanyi e da dádiva em Mauss. Assumimos a premissa que a economia de mercado domina a sociabilização humana reduzindo a racionalidade humana ao cálculo utilitário, estabelecendo, assim, uma monocultura que se espraiada mente à agricultura. Pontuamos práticas econômicas cujos propósitos e esquemas de trabalho, gestão e economia se orientam pela preservação e regeneração de ecossistemas que reconectam o ser humano a ele próprio e à natureza. Após 49 dias de imersão em quatro ecovilas, e posterior acompanhamento remoto de suas atividades, foram qualificadas práticas diversificadas de agricultura, centradas em ideais de autossuficiência, tempos e processos naturais e em singularidades de vida social revelando pluralidade econômica em termos de domesticidade, reciprocidade, redistribuição, dádiva e solidariedade. Restritas relações com o mercado orientam dinâmicas de vida econômica e sustentam ideais de enfrentamento da crise social e ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Smaniotto Tres, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutor em Administração na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Mestrado em Administração pela UNINOVE, Possui graduação em Engenharia de Telecomunicações pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2008), pós-graduando em MBA em Gestão Empresarial pela FGV, Tem experiência na área de Engenharia de Telecomunicações e Gerenciamento de Projetos. Atua como agente de divulgação e de práticas agroecológicas na região metropolitana de Natal-RN. Idealizador da Comunidade das Formigas, comunidade intencional de base agroecológica.

Washington José de Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professor Titular do Departamento de Administração Pública e Gestão Social (DAPGS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atua em ensino, pesquisa e extensão no campo da Gestão Social e orienta alunos de graduação, especialização, mestrado e doutorado em temas como economia solidária, reforma agrária, agricultura familiar, trabalho voluntário, gestão de organizações não governamentais e gestão social de políticas públicas com foco na participação e no controle social. Coordena o Curso de Graduação Tecnológica em Gestão de Cooperativas desde 2014. É membro titular do Conselho Estadual de Cooperativismo (Cecoope) do Rio Grande do Norte. É membro da Rede de Pesquisadores em Gestão Social, Rede Brasileira de Pesquisa e Gestão em Desenvolvimento Territorial, Rede Latino-Americana de Segurança e Soberania Alimentar e Nutricional, Rede Internacional de Pesquisadores sobre Comunidades Tradicionais e Rede Unitrabalho. É membro do Comitê Estadual de Investimentos e Negócios de Impacto Social (Cenis) como representante da UFRN. Integra a equipe do Projeto Sisan Universidades em consórcio UFRPE, UFPB e UFRN. Realizou Estágio Sênior, no campo da Gestão Social, na Royal Holloway of the University of London (RHUL), entre 2013 e 2014, pesquisando tendências contemporâneas no financiamento do Terceiro Setor. O Estágio foi apoiado pela CAPES. Realizou Pós-Doutorado na Birmingham Business School, University of Birmingham, entre 2004 e 2005, igualmente com apoio da CAPES, pesquisando bases históricas da Gestão Social. É vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Administração e líder do grupo de ensino, pesquisa e extensão “Organização de Aprendizagens e Saberes em Iniciativas Solidárias e Estudos no Terceiro Setor”. É graduado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Mestre em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará. Realizou Estágio de Doutorado no Institute of Education, University of London, entre 1997 e 1998, com bolsa da CAPES e apoio do Conselho Britânico.

Downloads

Publicado

2022-04-28

Como Citar

Tres, G. S., & Souza, W. J. de. (2022). Economia plural em ecovilas: para além da monocultura da mente. Revista Eletrônica De Administração, 28(1), 125–153. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/read/article/view/113426

Edição

Seção

Artigos