APROXIMAÇÕES ENTRE O LEGADO FREIREANO E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA: UMA ANÁLISE TEXTUAL DISCURSIVA DO ESTATUTO DO INSTITUTO FEDERAL FLUMINENSE

Autores

  • Arthur da Rezende da Silva Instituto Federal Fluminense - Campus Santo Antônio de Pádua - RJ Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC) Universidade Católica de Petrópolis - Doutorado em Educação https://orcid.org/0000-0002-4543-7842
  • Rafael Bastos Costa de Oliveira Universidade Católica de Petrópolis - UCP Universidade Estadual do Estado do Rio de Janeiro - UERJ https://orcid.org/0000-0003-3694-0435

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol37n32021.113218

Palavras-chave:

Paulo Freire, Instituto Federal Fluminense, Estatuto, Análise Textual Discursiva.

Resumo

Este artigo objetiva investigar a relação entre o legado freireano e a Educação Profissional e Tecnológica (EPT), com base nesta questão: Em quais aspectos observa-se a influência de Paulo Freire no Instituto Federal Fluminense? Metodologicamente, optou-se pela técnica de análise de dados conceituada como Análise Textual Discursiva (ATD), a partir do documento institucional que reformula o Estatuto do IFF. A análise aponta a presença do legado freireano  no Estatuto do IFF, por visar à formação emancipatória do estudante e oportunizar experiências de uma gestão democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur da Rezende da Silva, Instituto Federal Fluminense - Campus Santo Antônio de Pádua - RJ Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC) Universidade Católica de Petrópolis - Doutorado em Educação

Doutorando em Educação pela Universidade Católica de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro (UCP - Petrópolis). Mestre em Planejamento Regional e Gestão de Cidades pela Universidade Cândido Mendes (UCAM) em Campos dos Goytacazes, RJ. Especialista em Literatura, Memória Cultural e Sociedade, pelo Instituto Federal Fluminense (IFF). Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Universidade São Camilo (Espírito Santo). Licenciado em Letras/Literatura (Universidade Iguaçu - Itaperuna-RJ). Concursado como Técnico em Assuntos Educacionais (TAE), cargo de nível superior da área pedagógica, do Instituto Federal Fluminense no Campus Santo Antônio de Pádua e Professor efetivo da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC) - 20 horas, atuando na Licenciatura em Pedagogia da FAETEC de Santo Antônio de Pádua. Atualmente é Diretor-Geral do Instituto Federal Fluminense - Campus Santo Antônio de Pádua, RJ, tendo sido reeleito para o quadriênio de 2020 a 2024. Contato: arezende@iff.edu.br ou arezendeiff@gmail.com

Rafael Bastos Costa de Oliveira, Universidade Católica de Petrópolis - UCP Universidade Estadual do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Pós-Doutorado em andamento, no Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, sob supervisão do professor Dr. Rodrigo Stumpf González (2021). Doutor em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2015) e mestre pelo mesmo programa (2010). É especialista em Metodologia do Ensino e da Pesquisa em Educação Física, Esporte e Lazer, pela Universidade Federal da Bahia (2008). Graduado em Licenciatura em Educação Física pela UFBA (2006). Possui Bacharelado em Ciências Sociais, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2016). Professor Adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), desde 2016.2, alocado na Faculdade de Educação e na Faculdade de Formação de Professores. É docente do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH). Atua como Pesquisador Associado do Laboratório de Políticas Públicas (LPP) e coordena o Projeto de Extensão do Grupo Estratégico de Análise Superior (GEA-ES / LPP). Coordena, desde 2018.2, a disciplina Políticas Públicas em Educação - Consórcio CEDERJ-UAB. É professor adjunto da Universidade Católica de Petrópolis, desde 2016.1, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) e ao curso de Licenciatura em Pedagogia. Coordena o Grupo de Pesquisa em Educação, Estado, Sociedade Civil e Participação Política (GPESP). Tem experiência profissional na Educação Básica (E. Infantil, E. Fundamental, E. Médio e EJA) assim como na Educação Superior (presencial e a distância), atuando em cursos de graduação e pós-graduação, especificamente na área de Educação, Políticas Educacionais, Políticas Públicas, Formação Humana, Sociologia da Educação, Ações Afirmativas, Formação de Gestores Públicos e Educação Física. Pesquisa a Participação Política na formulação de Políticas Educacionais no Brasil

Referências

AFONSO, Almerindo Janela. Estado, políticas e gestão da educação: resistência ativa para uma agenda democrática com justiça social. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação-Periódico científico editado pela ANPAE, v. 36, n. 2, p. 403-428, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/103519. Acesso em 15. dez. 2020

ANTIQUEIRA, L.S; MACHADO, C. C. Análise textual discursiva na pesquisa sobre formação de professores de matemática. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 8, n. 19, p. 863-888, 2020. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/360. Acesso em: 05. jan.2021.

ARROYO, Miguel Gonzalez. A Educação Profissional e Tecnológica nos interroga. Que interrogações?. Educação Profissional e Tecnológica em Revista-ISSN 2594-4827, v. 3, n. 1, 2019. Disponível em: https://ojs2.ifes.edu.br/index.php/ept/article/view/1321. Acesso em: 04.jan.2021

AU, W. Lutando com o texto: contextualizar e recontextualizar a pedagogia crítica de Freire. In: APPLE, Michael W; AU, Wayne; GANDIN, Luís A. Educação crítica: análise internacional. Porto Alegre: Artmed, 2011.

BRASIL. Decreto nº 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1997.Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d2208.htm. Acesso em: 06 de nov. de 2020.

BRASIL. Decreto nº 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 2004. Disponívelem:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5154.htm> Acesso em:06 de nov. de 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia: um novo modelo em educação profissional e tecnológica:concepção e diretrizes. Brasília, DF: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=6691-if-concepcaoediretrizes&category_slug=setembro-2010-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 26.jan.2021

BRASIL. Plataforma Nilo Peçanha - Cursos, Matrículas, Ingressantes, Concluintes, Vagas e Inscritos por Tipo de Curso e Tipo de Oferta. Brasília, 2020. Disponível em:<http://plataformanilopecanha.mec.gov.br/2020.html> Acesso em: 05 de nov. de 2020

BEMVINDO, Vitor; MACIEL, Cosme L. Almeida (org.). Contraescola: apontamentos introdutórios.. In: BEMVINDO, Vitor; MACIEL, Cosme L. Almeida. Contraescola: a experiência do instituto politécnico de Cabo Frio. Marília: Lutas Anticapital, 2020. p. 15-28.

COSTA, Alyne. Aqui quem fala é da terra. Pág. 135-157. IN: LATOUR, Bruno. Onde Aterrar? – Como se orientar politicamente no Antropoceno. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2020.

FERREIRA, S. M. L.; DA SILVA, R. M; DA NÓBREGA CARREIRO, G. A análise textual discursiva na pesquisa qualitativa no ensino de filosofia: peneiradas intempestivas no PROF-FILO. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 8, n. 19, p. 800-834, 2020. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/369. Acesso em: 05. jan.2021

FREIRE, Paulo. Política e Educação: ensaios. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

_________. Conscientização: Teoria e prática da libertação: Uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3ª ed. São Paulo: Centauro, 2006.

_________. Educação e mudança. 30. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

_________. Sociedade fechada e inexperiência democrática. In. FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967. (Cap. 2 - p. 65-84)

_________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 55. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Juventude com vida provisória e em suspenso. Rio de Janeiro, UERJ/FAPERJ e CNPq, Documentário, 2009. Disponível em 3 partes: https://www.youtube.com/watch?v=yXj6pTXn7zs; https://www.youtube.com/watch?v=eUCShbnNPRQ; https://www.youtube.com/watch?v=-Iz8m2mgNLY.Acesso em: 05. jan. 2020

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar - Como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. 12º ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2011.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

GUIDOTTI, C.; HECKLER, V. O compreender com a ATD em uma etnopesquisa-formação com professores de ciências. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 8, n. 19, p. 768-784, 2020. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/365. Acesso em: 05. jan.2021

IFF. Resolução nº40: aprova a reformulação do Estatuto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense. Campos dos Goytacazes, RJ, 2017. Disponível em: http://cdd.iff.edu.br/documentos/resolucoes/2017/resolucao--40 . Acesso em: 26. jan.2021.

IFF. Projeto Político-Pedagógico Institucional (PPI-2018-2022). Campos dos Goytacazes, RJ, 2018. Disponível em: http://portal1.iff.edu.br/ensino/arquivos/ppi-2018-2022.pdf/view. Acesso em: 12. jan. 2021

IFF. Edital Nº 140 - Reitoria - 23 de Dezembro de 2020: Processo de Seleção de Projetos de Cultural e Diversidade e seleção de estudantes bolsistas e voluntários. Campos dos Goytacazes , RJ, 23 dez. 2020. p. 1-7. Disponível em: http://portal1.iff.edu.br/reitoria/noticias/iff-divulga-edital-de-selecao-de-projetos-de-cultura-e-d. Acesso em: 12 jan. 2021

LATOUR, Bruno. Onde Aterrar? – Como se orientar politicamente no Antropoceno. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2020.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5.ed. rev. ampl. Goiânia: Livros MF, 2008.

___________________.. Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 19. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2003. (Coleção Educar).

LÜDKE,Menga; ANDRÉ, Marli. E.D A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2ª Ed.Rio de Janeiro, Grupo GEN, E.P.U, 2020.

LÜCK, Heloisa et. al. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. 10 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

MESQUITA, N. A. da S. Perspectivas formativas de cursos de licenciatura em química: o desvelar dos projetos pedagógicos a partir da análise textual discursiva. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 8, n. 19, p. 863-888, 2020. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/360. Acesso em: 05. jan.2021

MOURA, D. H. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Holos, [s. l.], v. 2, p. 4-30. 2007. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/holos/article/view/11. Acesso em: 20. jan. 2021.

MORAES, R; DO CARMO GALIAZZI, M. Análise textual: discursiva. 3ª Ed. Editora Unijuí, 2016.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Indagações sobre currículo: currículo, conhecimento e cultura. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/indag3.pdf. Acesso em: 04 de nov. de 2020

MOTTA, Vânia Cardoso; FRIGOTTO, Gaudêncio. Por que a urgência da reforma do ensino médio? Medida Provisória nº 746/2016 (Lei nº 13.415/2017). Educação & Sociedade, v. 38, n. 139, p. 355-372, 2017. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/es/v38n139/1678-4626-es-38-139-00355. Acesso em: 12 dez.2020

PACHECO, Eliezer Moreira. Os Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Brasília, 2010. Disponível em:http://proedu.rnp.br/bitstream/handle/123456789/1274/Os%20institutos%20federais%20-%20Ebook.pdf?sequence=1. Acesso em: 04 de nov. de 2020.

RAMOS, Marise Nogueira. Concepção de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional . Superintendência de Ensino Médio da Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Norte, em Natal e Mossoró. Rio Grande do Norte, 2007. Disponível em: http://forumeja.org.br/go/sites/forumeja.org.br.go/files/concepcao_do_ensino_medio_integrado5.pdf . Acesso em: 03 de nov. de 2020.

______________________ História e política da educação profissional. Curitiba: Instituto Federal do Paraná, 2014. (Coleção Formação Pedagógica; v. 5). Disponível em: https://curitiba.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2016/05/Hist%c3%b3ria-e-pol%c3%adtica-da-educa%c3%a7%c3%a3o-profissional.pdf Acesso em: 26. jan. 2021

SILVA, Tomaz Tadeu. Currículo e identidade social: territórios contestados. In: SILVA, T.T (Org.) Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação (p.190-207). Petrópolis, Vozes, 1995.

SOUZA, Ângelo Ricardo de. As condições de democratização da gestão da escola pública brasileira. Ensaio: avaliação e políticas públicas em Educação, v. 27, n. 103, p. 271-290, 2019.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Auditoria operacional Fiscalização de orientação centralizada. Rede Federal de Educação Profissional. Brasília, 2013. Disponível em: https://tcu.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/315889946/2606220119?ref=juris-tabs. Acesso em: 04 de nov. de 2020

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais.: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2008.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

Rezende da Silva, A. da, & Bastos Costa de Oliveira, R. (2022). APROXIMAÇÕES ENTRE O LEGADO FREIREANO E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA: UMA ANÁLISE TEXTUAL DISCURSIVA DO ESTATUTO DO INSTITUTO FEDERAL FLUMINENSE. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 37(3), 1370–1392. https://doi.org/10.21573/vol37n32021.113218