A POLÍTICA E A PRÁTICA DA GESTÃO DO CURRÍCULO EM SÃO PAULO: ENSINAMENTOS DE PAULO FREIRE À FRENTE DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (1989-1991)

Autores

  • Ana Maria Saul Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasi. https://orcid.org/0000-0002-0114-444X
  • Alexandre Saul Universidade Católica de Santos, Santos, SP, Brasi. http://orcid.org/0000-0003-0021-8934
  • Fernanda Corrêa Quatorze Voltas Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasi.

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol37n22021.113183

Palavras-chave:

Paulo Freire, gestão do currículo, democratização da escola, escola pública, educação popular

Resumo

Paulo Freire foi Secretário da Educação na cidade de São Paulo (1989-1991). Comprometeu-se com a construção de uma escola pública popular e democrática, com qualidade social.  Neste texto apresenta-se a gestão do currículo na administração Freire, destacando princípios que permearam ações concretas para ‘mudar a cara da escola’. A metodologia para elaboração desse artigo foi a pesquisa bibliográfica. Ao final, o texto destaca que a política e a prática curricular, na perspectiva freireana, seguem requeridas para compreender e superar desafios atuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Saul, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasi.

Ana Maria Saul, professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Faculdade de Educação, Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Currículo, São Paulo, SP, Brasil.

E-mail: anasaul@uol.com.br

Lattes: http://lattes.cnpq.br/1924505851256944

Alexandre Saul, Universidade Católica de Santos, Santos, SP, Brasi.

Alexandre Saul, professor da Universidade Católica de Santos, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, Santos, SP, Brasil.

E-mail: asaul@hotmail.com

Lattes: http://lattes.cnpq.br/6664628457125646

Fernanda Corrêa Quatorze Voltas, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasi.

Fernanda Corrêa Quatroze Voltas, professora da Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Educação, Departamento de Teorias do Ensino e Práticas Educacionais, Vitória, ES, Brasil.

E-mail: fernanda.voltas@ufes.br

Lattes: http://lattes.cnpq.br/5453878722612411

Referências

ABUCHAIM, Beatriz de Oliveira. A construção do currículo para a educação infantil na rede municipal de São Paulo. Currículo sem Fronteiras, Pelotas/Porto Alegre, v. 12, n. 1, p, 252-273, jan./abr., 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CURRÍCULO (ABdC); ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO (ANPEd). Exposição de Motivos contra a Base Nacional Comum Curricular, 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CURRÍCULO (ABdC); ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO (ANPEd). Manifesto oficial contrário ao documento orientador de políticas para Educação Básica/Ensino Médio (BNCC), 2018.

AVELAR, Marina. Educação e COVID-19: cenário para o avanço da privatização? Site da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, São Paulo, não paginado, 04 jun. 2020.

CALADO, Alder Júlio Ferreira. Paulo Freire: sua visão. Madrid: La insignia, 2002.

CAMARGO, Rubens Barbosa de. Gestão democrática e nova qualidade de ensino: o Conselho de Escola e o Projeto da Interdisciplinaridade nas escolas municipais da cidade de São Paulo (1989-1992). 1997. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

CAMPANHA NACIONAL PELO DIREITO À EDUCAÇÃO; REDE ANÁLISE COVID-19; OBSERVATÓRIO COVID-19 BR. [Nota Técnica] Brasil: não é hora de retomar as aulas presenciais nas escolas e é preciso garantir as condições adequadas para a oferta do ensino remoto emergencial, 2021.

CURY, Carlos Roberto Jamil; REIS, Magali; ZANARDI, Teodoro Adriano Costa. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.

DÍAZ BORDENAVE, Juan E. O que é participação? São Paulo: Brasiliense, 2008.

DELIZOICOV, Nadir; STUANI, Geovana; DELIZOICOV, Demétrio. Reorientação curricular na concepção freireana de educação: análises em dissertações. Revista e-Curriculum (PUC-SP), v. 3, p. 648-712, 2013.

FREIRE, Paulo. A educação na cidade. São Paulo: Cortez Editora, 1991.

______. Criando métodos de pesquisa alternativa: aprendendo a fazê-la melhor através da ação (1971). In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (Org.). Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1981. p. 34-41.

______. Extensão ou comunicação? São Paulo: Paz e Terra, 2006.

______. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

______. Política e educação. São Paulo: Cortez Editora, 1992.

______. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D’água, 1995.

FREITAS, Luiz Carlos de. Os empresários e a política educacional: como o proclamado direito à educação de qualidade é negado na prática pelos reformadores empresariais. Germinal: marxismo e educação em debate, Salvador, v. 6, n. 1, p. 48-59, jun. 2014.

LIMA, Licínio C. Gestão democrática. In: STRECK, Danilo; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (Orgs.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018. p. 236-237.

______. Organização escolar e democracia radical: Paulo Freire e a governação democrática da escola pública. São Paulo: Cortez, 2009.

______. Políticas de formação ao longo da vida. In: CONGRESSO NACIONAL DE

CENTROS DE FORMAÇÃO DE ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS. 2007, Guimarães.

Actas...Guimarães: [s.n.], 2007. p. 85-96.

LOPES, Alice C.; MACEDO, Elizabeth. Teorias de currículo. São Paulo, SP: Cortez, 2016.

LOUREIRO, Emília Marlene Morgado. Formação de professores em serviço: uma

experiência da rede municipal de educação de São Paulo. 2013. 126f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Metodista de São Paulo, São Paulo, 2014.

MACEDO, Elizabeth Fernandes de. “A base é a base”. E o currículo o que é?. In: AGUIAR, Márcia A. S.; DOURADO, Luiz (Orgs.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. Recife: ANPAE, 2018.

______. Fazendo a Base virar realidade: competências e o germe da comparação. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 25, jan./mai. p. 39-58, 2019.

PONTUSCHKA, Nídia; LUTFI, Eulina Pacheco; SEABRA, Manoel Fernando; DOMITE, Maria Do Carmo. Ousadia no diálogo - interdisciplinaridade na escola pública. São Paulo: Loyola, 2001.

RIBEIRO, Márden P.; ZANARDI, Teodoro A. A presença de pedagogia de Paulo Freire nas produções em currículo: centralidade do conhecimento. Revista e-Curriculum (PUC-SP), v. 16, p. 1050-1075, 2018.

ROLDÃO, Maria do Céu; ALMEIDA, Sílvia. Gestão curricular: para a autonomia das escolas e professores. Lisboa/Pt: Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação, 2018.

SÃO PAULO (Município). Secretaria Municipal da Educação. Ação pedagógica na escola pela via da interdisciplinaridade. Cadernos 1, 2 e 3. São Paulo, 1989.

SAUL, Alexandre. A Para mudar a prática da formação continuada de educadores: uma pesquisa inspirada no referencial teórico-metodológico de Paulo Freire. 2015. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

SAUL, Ana Maria. A construção da escola pública popular e democrática, na Gestão Paulo Freire, no município de São Paulo. In: TOMASIELLO, Maria Guiomar Carneiro et al. (Orgs.). Didática e práticas de ensino na realidade escolar contemporânea: constatações, análises e proposições. Araraquara: Junqueira & Marin, 2012. p. 394-406.

______. A construção do currículo na teoria e prática de Paulo Freire. In: APPLE, Michael W.; NÓVOA, António (Orgs.). Paulo Freire: política e pedagogia. Porto: Porto Editora, 1998a. p. 151-165.

______. Currículo. In: STRECK, Danilo; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (Orgs.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018. p. 129-130.

______. Formação permanente de educadores na cidade de São Paulo. Revista da associação nacional de educação, São Paulo, v. 12, n. 19, p. 63-68, 1993.

______. Interdisciplinaridade na rede de ensino municipal de São Paulo. In: SERBINO,

Raquel Volpato et al. (Orgs.). Formação de professores. São Paulo: Editora UNESP, 1998b. p. 321-328.

______. Paulo Freire na atualidade: legado e reinvenção. Revista e-Curriculum (PUC-SP), v. 14, p. 9-34, 2016.

______; SAUL, Alexandre. Mudar é difícil, mas é possível e urgente: um novo sentido para o Projeto Político-Pedagógico da escola. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 14, n. 33, p. 102-120, 2013.

SILVA, Antônio Fernando Gouvêa da. A construção do currículo na perspectiva popular crítica: das falas significativas às práticas contextualizadas. 2004. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

STEINBERG, Shirley R. Paulo Freire. In: KRIDEL, Craig (Ed.) Encyclopedia of curriculum studies. Thousand Oaks, CA: Sage Publications, Inc, 2010.

TAGER, Florence. The relation between politics and culture in the teaching of working class students. Curriculum Inquiry, Malden, v.12, n. 2, p. 209-219, 1982.

TORRES, Carlos Alberto, O’CADIZ, Maria del Pilar, WONG, Pia Lindquist. Educação e democracia: a práxis de Paulo Freire em São Paulo. São Paulo: Cortez Editora, 2002

VOLTAS, Fernanda C. Q. Formação permanente freireana: análise de políticas e práticas de formação de professores de EJA na DRE Pirituba-Jaraguá (SP). 2019. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Saul, A. M., Saul, A., & Voltas, F. C. Q. (2021). A POLÍTICA E A PRÁTICA DA GESTÃO DO CURRÍCULO EM SÃO PAULO: ENSINAMENTOS DE PAULO FREIRE À FRENTE DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (1989-1991). Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 37(2), 628–652. https://doi.org/10.21573/vol37n22021.113183

Edição

Seção

Paulo Freire e a gestão educacional