IMPORTÂNCIA E FATORES INTERVENIENTES NA REPRESENTATIVIDADE, DEMOCRATIZAÇÃO E TOMADA DE DECISÃO NOS CONSELHOS SUPERIORES DE INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol37n32021.109225

Resumo

Este artigo analisa a representatividade, os fatores intervenientes no processo de tomada de decisão dos conselhos superiores dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) e a potencialidade desses órgãos colegiados para a democratização institucional. Com o aporte teórico dos estudos sobre Modelos Racionais de tomada de decisão, o texto apresenta uma investigação de natureza qualitativa que se dividiu entre a pesquisa documental e pesquisa de campo. Constatou-se um elevado índice de representatividade nos conselhos, embora ainda sejam necessários aprimoramentos na disponibilização de informações aos seus membros, na comunicação entre eles e a comunidade institucional e nas técnicas de deliberação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Vinicius Campelo Junior, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande-MS.

Referências

AFONSO, A. J. Estado, políticas e gestão da educação: resistência ativa para uma agenda democrática com justiça social. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 36, n. 2, p. 403 - 428, mai./ago. 2020.

ALEXANDRE, J. W. C. et al. Análise do Número de Categorias da Escala de Likert Aplicada à Gestão pela Qualidade Total Através da Teoria de Resposta ao Item. Encontro Nacional de Engenharia de Produção, vol. 23, n. 2003, p. 1-8, 2003.

BALESTRIN, A. Uma Análise da Contribuição de Herbert Simon para as Teorias Organizacionais. Revista Eletrônica de Administração, Edição 28, 8 (4), 2002.

BAZERMAN, M. H. Processo Decisório para Cursos de Administração, Economia e MBAs. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BERNARDO, E. S.; BORDE, A. M.; CERQUEIRA, L. M. Gestão Escolar e Democratização da Escola: desafios e possibilidades de uma construção coletiva. Revista on-line de Política e Gestão Educacional, v. 22, n. esp.1, p. 31-48, 2018. e-ISSN: 1519-9029. Disponível em: < https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/10782>. Acesso em: 10 de ago. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Brasília, Distrito Federal, 2008. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm>. Acesso em: 05 jan. 2020.

BRASIL. Medida Provisória Nº 914, de 24 de dezembro de 2019. Dispõe sobre o processo de escolha dos dirigentes das universidades federais, dos institutos federais e do Colégio Pedro II. Brasília, DF, 2019.

BRASIL. Medida Provisória Nº 979, de 10 de junho de 2020. Dispõe sobre a designação de dirigentes pro tempore para as instituições federais de ensino. Brasília, DF, 2020.

CARNEIRO, C. B. L. Conselhos de Políticas Públicas: desafios para sua institucionalização. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 36 (2), 277-292, 2002.

CUMMINS, R. A.; GULLONE, E. Why we should not use 5-point Likert scales: the case for subjective quality of life measurement. In: Proceedings, Second International Conference on Quality of Life in Cities, p. 93. Singapore, 2000.

DAFT, R. L. Organizações: teoria e projetos. São Paulo: Pioneira, 2002.

DEMO, P. Participação é uma conquista: noções de política social participativa. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 1993.

GHIRARDI, J. G.; CUNHA, L. G. O Voto de Silêncio: abstenção eleitoral, representações de cidadania. Revista Direito Mackenzie, v. 6, n. 1, p. 160-169, 2013.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6ª Edição. São Paulo: Atlas S.A, 2008.

GOHN, M. da G. Conselhos Gestores e Participação Sociopolítica. São Paulo: Cortez, 2001.

GOMES, E. G. M. Conselhos Gestores de Políticas Públicas: democracia, controle social e instituições. (dissertação de mestrado), Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2003.

GOMES, L. F. A. M.; GOMES, C. F. S. Tomada de decisão gerencial: enfoque multicritério. Editora Atlas SA, 2000.

IFNMG. Almenara. Regulamento Interno do Conselho Gestor dos Campi do IFNMG. Reitoria, 2015. Disponível em: <https://www.ifnmg.edu.br/docs-regulamentos>. Acesso em: 07 de jul. 2020.

LUIZ, M. C; BARCELLI, J. C. Conselhos escolares e participação: a perspectiva de técnicos de secretarias municipais de educação do Estado de São Paulo. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, v. 2, n.14, p.1-17, set. 2013.

MAGALHÃES, N. O papel dos conselhos superiores em uma instituição federal de ensino: o caso da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO. (dissertação de mestrado), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2019.

MENDONÇA FILHO, E. F. Fatores Intervenientes na Tomada de Decisão em Conselhos Superiores dos Institutos Federais de Educação. (dissertação de mestrado), Programa de Pós-Graduação em Administração Pública, UFG, Aparecida de Goiânia - GO, 2016.

NARDI, E. L; BOIAGO, P. F. S. Contornos da produção acadêmica sobre gestão democrática do ensino público em teses e dissertações da área da educação (1996-2015). Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 34, n. 3, p. 749-773, set./dez. 2018.

NOTA da Presidência do Conselho Superior. Instituto Federal de São Paulo, 2020. Disponível em: <https://www.ifsp.edu.br/noticias/1533-nota-da-presidencia-do-conselho-superior>. Acesso em: 07 set. 2020.

PRÉVE, A. D.; MORITZ, G. D. O.; PEREIRA, M. F. Organização, processos e tomada de decisão. Florianópolis, SC: Departamento de Ciências da Administração/UFSC, 2010.

ROBBINS, S. P.; DECENZO, D. A. Fundamentos de Administração: conceitos e aplicações. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

SANTANA, V. L. S. Controle Social e Desempenho na Gestão Pública: uma análise dos conselhos locais de educação e saúde. Revista de Políticas Públicas e Gestão Governamental, 10 (1), 2011.

SANTOS, L. P.; WAGNER, R. Processo decisório e tomada de decisão: um dualismo. Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 1-15, 2007.

SINASEFE rechaça nomeações imorais no IFRN e IFSC. Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE), 2020. Disponível em: < https://sinasefe.org.br/site/nao-a-intervencao-do-mec-no-ifrn-e-no-ifsc/>. Acesso em: 07 set. 2020.

TEIXEIRA, E. C. Efetividade e eficácia dos Conselhos. In: Carvalho, M. C. A. A., & Teixeira, A. C. C. (Orgs.). Conselhos Gestores de Políticas Públicas. São Paulo: Pólis, 2000.

TENÓRIO, F. G; KRONEMBERGER, T. S. (org). Gestão Social e Conselhos Gestores. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2016.

TOZONI-REIS, M. F. C. Metodologia da Pesquisa. 2. Ed. Curitiba: IESDE Brasil S.A, 2009.

VAHL, T. R. Estrutura e gerenciamento das universidades brasileiras. Temas de Administração Universitária. Florianópolis: UFSC, 1991.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

Mendonça Filho, Érison F., Campelo Junior, M. V., Oliveira, J. de P., & de Castro Wiziack, S. R. (2022). IMPORTÂNCIA E FATORES INTERVENIENTES NA REPRESENTATIVIDADE, DEMOCRATIZAÇÃO E TOMADA DE DECISÃO NOS CONSELHOS SUPERIORES DE INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 37(3), 1255–1278. https://doi.org/10.21573/vol37n32021.109225