Fundamentos e processos da formação continuada na rede municipal de Goiânia

Autores

  • Sarah Rizzia Campos Luiz FACULDADE DE EDUCAÇÃO/ UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
  • Lúcia Maria Assis UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS/ FACULDADE DE EDUCAÇÃO

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol36n22020.100512

Palavras-chave:

Formação de professores e políticas públicas, Formação de professores e avaliações externas, Formação de professores e avaliação.

Resumo

Este artigo é resultado de uma pesquisa realizada no ano de 2019 e teve como objetivo apresentar os fundamentos teóricos e metodológicos da formação continuada dos professores na Gerência de Formação dos Profissionais da SME (GERFOR). A pesquisa teve como metodologia o levantamento bibliográfico e documental, fundamentada em Janela (2000), Saviani (2008), Dias Sobrinho (2003), Luckesi (2010), Libâneo (2015), Guimarães (2004), entre outros. Concluiu-se que tendo em vista que as políticas para formação continuada abrangem cursos de curta ou longa duração, que objetivam promover a atualização, desenvolvimento e aprofundamento profissional constante dos profissionais docente, que busquem atender as necessidades recorrentes da prática educacional, bem como acompanhar o desenvolvimento da legislação educacional e promover a atualização permanente dos conhecimentos e saberes da docência, a GERFOR tem atuado nesse sentido, de modo a subsidiar as melhorias das práticas dentro do ambiente escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Rizzia Campos Luiz, FACULDADE DE EDUCAÇÃO/ UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

PEDAGOGA, ESPECIALISTA EM DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA, MESTRE EM EDUCAÇÃO PELO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS

Lúcia Maria Assis, UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS/ FACULDADE DE EDUCAÇÃO

PROFESSORA COORDENADORA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. DOUTORA EM EDUCAÇÃO PELA UFG E MESTRE PELO UNIMEP/MG, ESTÁGIO PÓS DOUTORAL PELA USP.

Referências

ADORNO, T. W. Textos escolhidos. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

ALFERES, M. A.; MAINARDES, J. A. FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NO BRASIL. In: Seminário de Pesquisa do PPE. Universidade Estadual de Maringá: 2011. Disponível em: http://www.ppe.uem.br/publicacoes/seminario_ppe_2011/pdf/1/001.pdf. Acesso em: abril de 2018.

ALONSO, M. O trabalho docente: teoria & prática. São Paulo: Pioneira, 1999.

ANDALÓ, C. S. de A. Fala, professora!: repensando o aperfeiçoamento docente. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

ASSIS, L. M.; LIMA, D. C. B. P. Editorial. Atordoado eu permaneço atento. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 34, n. 02, p. 329-345, mai./ago., 2018.

ASSIS, L. M. de; AMARAL, N. C. Avaliação da Educação: Por um sistema nacional. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 7, n. 12, p. 27-48, jan./jun. 2013. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/viewFile/258/436. Acesso em: jan. 2019.

ASSIS, L. M. de. As condições de trabalho de professores da educação básica em Goiás. In: OLIVEIRA, D. A., VIEIRA, L. F. Trabalho docente na educação básica em Goiás. Belo Horizonte, MG: Fino Traço, 2012. p. 115-132.

ASSIS-PETERSON, A. A.; SILVA, E. M. N. “Não tenho estoques de sonhos para me manter em pé”: construção de identidades de uma professora de inglês. In: BARROS, S. M.; ASSIS-PETERSON, A. A. (Org.). Formação crítica de professores de línguas: desejos e possibilidades. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2010. p. 145-174.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2011.

BRASIL. Ministério da educação conselho nacional de educação conselho pleno. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. In: Diário Oficial da União, Brasília, 2 de julho de 2015 – Seção 1 – pp. 8-12. Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/res_cne_cp_02_03072015.pdf. Acesso em: junho de 2016.

BRASIL. Lei 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Brasília, DF: 1971. Disponível em: Acesso em 10 maio de 2017.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 5ª Edição, [1996] 2010. Biblioteca Digital da Câmera dos Deputados. Disponível em: http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/2762/ldb_5ed.pdf. Acesso em: outubro de 2011.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. Brasília: 1998.

BRASIL. Portaria Normativa n. 14, de 21 de maio de 2010. Institui o Exame Nacional de Ingresso na Carreira Docente. Diário Oficial da União, seção 1, n.24, f. 11, 24 maio 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12907:legislacoes&catid=70:legislacoes. Acesso em: junho de 2016.

BRASIL. Parecer CNE/CP 9/2001. Homologado em 17/01/2002. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf. Acesso em: junho de 2016.

BRASIL, Ministério da Educação. Projeto de Lei do Plano Nacional de Educação (PNE 2011-2020): projeto em tramitação no Congresso Nacional – PL nº 8.035/2010. Brasília, DF: Edições Câmera, 2011.

BRASIL. Lei da Reforma do Ensino de 1º e 2º graus. Lei nº. 5.692/71, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. In Política e Educação no Brasil. 5. ed. Campinas: Autores Associados, 2002.

BRASIL, Ministério da Educação/SEB. Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica – Orientações Gerais, Brasília, 2005.

CHIMENTÃO, L. K. O significado da formação continuada docente. 4° CONPEF –Congresso Norte Paranaense de Educação Física Escolar, 2009. Disponível em: http://www.uel.br/eventos/conpef/conpef4/trabalhos/comunicacaooralartigo/artigocomoral2.pdf. Acesso em: abril de 2016.

COÊLHO, I. M; GUIMARÃES, G. Educação, escola e formação. Goiânia, 2012. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/xmlui/handle/ri/487. Acesso em: janeiro de 2017.

DIAS SOBRINHO, J. Campo e caminhos da avaliação: a avaliação da educação superior no Brasil. In: FREITAS, L. C. (org.). Avaliação. Construindo o campo e a crítica. Florianópolis: Insular, 2013. v. 1. p. 13-62.

DONATO V. Logística Verde: Uma abordagem sócio-ambiental, Rio de Janeiro, Editora Ciência Moderna, 2008.

FERREIRA, N. S. C. A gestão enquanto instrumento para a construção e qualificação da educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/gestao.pdf. Acesso em: 07 jul. de 2008.

FERREIRA, N. S. C. Gestão democrática da educação: ressignificando conceitos e possibilidades. In: FERREIRA, Naura Syria Carapeto; AGUIAR, Márcia Ângela da S. (Org.). Gestão da Educação – Impasses, perspectivas e compromissos. São Paulo: Cortez, p. 295-316, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

FREITAS, D. N. T. de. Avaliação da Educação Básica no Brasil: características e pressupostos. In: BAUER, A.; GATTI, B. A.; TAVARES, M. R. (orgs.) Ciclo de Debates: vinte e cinco anos de avaliação de sistemas educacionais no Brasil, origens e pressupostos. Florianópolis: Editora Insular, 2013, p.70-96.

FRIGOTTO, Gaudêncio. O enfoque da dialética materialista histórica na pesquisa educacional. São Paulo: Cortez, 2008.

GATTI, B. A. Análise das politicas públicas para a formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação. Campinas: Autores Associados. v.13, n.37, p. 57-70, 2008.

GATTI, B. A. Formação continuada de professores: a questão psicossocial. Cadernos de Pesquisa. [online] 2003 n. 119. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742003000200010&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: julho de 2016.

GATTI, B. A. Possibilidades e Fundamentos de avaliações em larga escala: primórdios e perspectivas contemporâneas. In: BAUER, Adriana; GATTI, Bernadete A.; TAVARES, Marialva R. (Orgs.). Ciclo de debates: vinte e cinco anos de avaliação de sistemas educacionais no Brasil, origens e pressupostos. Florianópolis: Editora Insular, 2013, p.47-69.

GOIÂNIA. Secretaria Municipal de Educação e Esportes. Gerência de Formação dos Profissionais da Educação. Política de Formação Continuada em Rede: Proposta políticopedagógica para formação continuada dos profissionais da Secretaria Municipal de Educação e Esportes de Goiânia. Out.2013.

GUIMARÃES, V. S. A socialização profissional e profissionalização docente: um estudo baseado no professor recém-ingresso na profissão. In.: GUIMARÃES, V. S. (Org.). Formar para o mercado ou para a autonomia? O papel da Universidade. Campinas: Papirus, 2006.

GUIMARÃES. V. S. Formação de professores: Saberes, identidades e profissão. Campinas, SP: Papirus, 2004.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2001.

JANELA, A. A. Avaliação Educacional: regulação e emancipação. São Paulo: Cortez, 2000, p.13-51.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. ed. Goiânia: MF Livros, 2008.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar. 21 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

NÓVOA, A..A formação contínua de professores: realidades e perspectivas. Aveiro: Universidade de Aveiro, 1991.

PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

RIBAS, M. H. Construindo a competência: processo de formação de professores. São Paulo: Olho d’Água, 2000.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10 ed. Campinas: Autores Associados, 2008.

SILVA, C. S. R. da; FRADE, I. C. A. da. Formação de professores em serviço. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v. 3, n. 13, 1997.

SOARES, K. C. D. Trabalho docente e conhecimento. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências da Educação Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso. Rio de Janeiro: LeYa, 2017.

VEIGA, I P.A. Escola: Espaço do Projeto Político-Pedagógico. 7. ed. Campinas, SP: Papirus.1998.

Downloads

Publicado

2020-08-19

Como Citar

Luiz, S. R. C., & Assis, L. M. (2020). Fundamentos e processos da formação continuada na rede municipal de Goiânia. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 36(2), 497–520. https://doi.org/10.21573/vol36n22020.100512