O Sensível Negro: rotas de fuga para performances

Autores

  • José Juliano Barbosa Gadelha Pesquisador colaborador do Laboratório de Arte Contemporânea da Universidade Federal do Ceará. Mestre em Arte, Mestre em Sociologia e Bacharel em Ciências Sociais pela UFC. http://orcid.org/0000-0001-5507-2376

Palavras-chave:

Arte, Fuga, Performance, Negro, Sensível

Resumo

O artigo forja o princípio da fuga para pensar as poéticas do desaparecimento do corpo que encontram, no que o autor denomina de performance fugitiva, uma maneira de tornar vivos os modos de existência, os quais seriam destinados, pelo futurismo reprodutivo da normalização estética, ao desaparecimento e, consequentemente, à morte. Em diálogo com os Black Studies, a crítica anticolonial e um pensamento próprio sobre o campo sensível, o artigo trama os fios que expõem os programas de reteorização, representação, abstração e performance sob o tráfego do devir-negro das artes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Juliano Barbosa Gadelha, Pesquisador colaborador do Laboratório de Arte Contemporânea da Universidade Federal do Ceará. Mestre em Arte, Mestre em Sociologia e Bacharel em Ciências Sociais pela UFC.

Mestre em Arte, Mestre em Sociologia e Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal Do Ceará - UFC. Pesquisador do Laboratório de Arte Contemporânea da aludida universidade.

Publicado

2019-11-05

Como Citar

Gadelha, J. J. B. (2019). O Sensível Negro: rotas de fuga para performances. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 9(4), 01–24. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/85298

Edição

Seção

Outros Temas