Genealogia da Filosofia Iluminista: de Nietzsche ao pensamento pós-colonial

Autores

  • Julien Rajaoson (Institut d’Études Politiques de Grenoble – Sciences Po, Grenoble, França ) Institut d’Études Politiques de Grenoble – Sciences Po, Grenoble, França

Palavras-chave:

Estudos Pós-coloniais. Filosofia Moral e Política. Éticas. Filosofia Iluminista. Desigualdades.

Resumo

O pensamento pós-colonial é uma epistemologia crítica – que podemos qualificar como radical – que provém da missão civilizadora do colonialismo, de sua matriz e de seu legado. Ao contrário daquilo que o prefixo do termo pós-colonial faz supor, essa reflexão não pode ser reduzida apenas à análise de situações cronologicamente posteriores ao momento colonial. O objeto da crítica pós-colonial é a grande narrativa racionalista, linear e secular enunciada pela filosofia iluminista, por trás da qual se encontra uma visão unilateral e linear de um devir histórico que seria idêntico e válido para todas as nações. Apesar de sua pretensão universalista, a filosofia iluminista não consegue – ao que parece – transcender seu lugar de palavra: ela assemelha-se mais a uma tendência de como perceber o mundo por intermédio do ponto de vista europeu, ou ocidental, do que a uma filosofia propriamente dita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-10-04

Como Citar

Rajaoson (Institut d’Études Politiques de Grenoble – Sciences Po, Grenoble, França ), J. (2022). Genealogia da Filosofia Iluminista: de Nietzsche ao pensamento pós-colonial. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 8(2), 301–322. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/81029

Edição

Seção

Outros Temas