Transmitir a Dança: legado e tradução das coreografias de Pina Bausch

Autores

  • Gabriele Klein (Universidade de Hamburgo, Hamburgo – Alemanha)

Palavras-chave:

Teatro-Dança. Tradução. Identidade e Diferença.

Resumo

 O texto analisa a transmissão de coreografias a partir do exemplo do trabalho do Tanztheater Wuppertal Pina Bausch – processo apresentado como uma prática de tradução. As possibilidades e os limites da transmissão da coreografia contemporânea são aqui discutidos, bem como os potenciais inerentes às traduções de coreografias da forma como o Tanztheater Wuppertal e a Fundação Pina Bausch as praticam. A partir de teorias filosóficas e sociológicas da tradução e com base em procedimentos metodológicos da “análise praxiológica de produção” (Klein, 2014a; 2015a), trato neste material de dados coletados e avaliados durante visitas a ensaios e em entrevistas realizadas com bailarinos e funcionários do Tanztheater Wuppertal durante mais de dois anos. O texto pretende demonstrar que a transmissão de coreografias é caracterizada pelo paradoxo entre identidade e diferença. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2018-06-23

Como Citar

Klein (Universidade de Hamburgo, Hamburgo – Alemanha), G. (2018). Transmitir a Dança: legado e tradução das coreografias de Pina Bausch. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 8(3), 393–420. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/78975

Edição

Seção

Pina Bausch