Atos como Performance na Ocupação do Espaço Urbano: contra um modelo de cidade para os megaeventos

Autores

  • Beatriz Provasi (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, Brasil) Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio

Palavras-chave:

Manifestações de Rua, Performance, Cidades, Copa do Mundo, Olimpíada,

Resumo

Esta pesquisa se move entre junho de 2013 e julho de 2014, observando os atos que tomaram as ruas do Rio de Janeiro, em perspectiva a um só tempo estética e política, não apenas como crítica ao modelo de cidade para os megaeventos, mas como proposição de outros modos de habitar a urbe. A partir da percepção da pluralidade de formas de expressão acionadas e da centralidade das ações diretas na prática dos manifestantes, relacionamos os atos à noção de performance, com atenção especial aos corpos que ocuparam o espaço urbano, com suas coreopolíticas, seus teatros de invasão, seus coros polifônicos, suas escritas múltiplas, e a criação de Zonas Autônomas Temporárias, sempre prontas a re(in)ssurgir. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Provasi (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, Brasil), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio

Em artes, Beatriz Provasi. Poeta, performer e atriz. Mestre em Artes Visuais pela UFRJ. Doutoranda em Literatura, Cultura e Contemporaneidade na PUC-Rio.

Publicado

2016-08-20

Como Citar

Provasi (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, Brasil), B. (2016). Atos como Performance na Ocupação do Espaço Urbano: contra um modelo de cidade para os megaeventos. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 6(3), 429–459. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/61977

Edição

Seção

As Olimpíadas como Performance