O Estudo das Práticas Performativas na Perspectiva de uma Antropologia da Estética

Autores

  • Laure Garrabé Universidade Federal de Santa Maria PPGCSH (Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas) / Grupo de Estudos e Pesquisas em Antropologia do Corpo e da Saúde (GEPACS)

Palavras-chave:

Antropologia, Estética, Práxis, Técnica, Práticas Espetaculares

Resumo

Este texto propõe uma contribuição ao estudo das práticas performativas a partir de uma apreensão antropológica na qual a estética, entendida como aisthesis, se estabelece como hermenêutica das formas de socialização e de individuação em ato no fenômeno estudado. Apresenta-se um aparelho epistemológico no qual as noções de ritmo e de relação, átomos irredutíveis de toda forma de estética, teriam valor paradigmático. Através delas, discute-se a possibilidade de apreender os modos de produção, de recepção e de apropriação, caracterizando formas de práxis cujos graus de construção (da ação, da experiência e dos imaginários) e de intencionalidade são as variáveis que determinam a singularidade e a inserção dessas formas em dispositivos (da arte) socialmente reconhecidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-10-19

Como Citar

Garrabé, L. (2022). O Estudo das Práticas Performativas na Perspectiva de uma Antropologia da Estética. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 2(1), 54–77. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/26492

Edição

Seção

Etnocenologia e Educação