Justa Distância ou Justa Presença?

Autores

  • Edmée Runtz-Christan Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Presença, Pedagogia, Didática, Formação de Professores, Performance

Resumo

No momento em que os especialistas se confrontam a fim de determinar o que é o essencial do saber e da didática, da lógica da intenção ou da lógica da competência, é necessário lembrar que o professor só pode transmitir uma vontade de saber. Nenhum ensino, nenhuma didática permite àquele a quem se educa fazer economia da passagem ao ato. É apenas quando o aluno tiver decidido aprender que ele adquirirá os conhecimentos e as capacidades que lhe permitirão advir. Importa apenas incitar o aluno a agir lembrandose que para ser viável, a relação pedagógica deve se inscrever dentro de um sistema ético, institucional e relacional, evitando a dependência ou a indiferença a um desses polos. Como então transmitir a vontade de aprender sem manipular o aluno por meio de estratégias didáticas, relacionais ou institucionais? Como fazer uso da presença do professor para melhorar a aprendizagem? Quais distâncias respeitar para manter o interesse?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-10-20

Como Citar

Runtz-Christan, E. (2022). Justa Distância ou Justa Presença?. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 1(1), 37–50. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/22014

Edição

Seção

Estudos da Presença