O Ator Estrangeiro ou o Outro no Teatro

Autores

  • Georges Banu Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Ator Estrangeiro, Língua, Sotaque, Dicção, Atuação

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre um fenômeno que, depois dos anos 1968, contamina progressivamente a cena europeia: o ator estrangeiro. Sintoma das mutações sociais – permeabilidade das fronteiras, maior liberdade linguística –, o ator vindo de longe acaba rompendo com o etnocentrismo que até então caracterizava o teatro. A partir dessa constatação, examina-se notadamente a formação dos grupos pluriétnicos, o plurilinguismo em cena e o uso que os encenadores fazem dele. Trata-se em seguida da questão do sotaque estrangeiro, dos efeitos produzidos na língua de acolhimento e da maneira como o público o percebe. Analisa-se isso levando em conta também a relação com o corpo estrangeiro, frequentemente utilizado como um elemento perturbador, ao trazer à cena uma nova corporeidade, uma presença e um engajamento diferentes. Por fim, aborda-se particularmente o percurso de dois atores vindos de longe: Sotigui Kouyate e Yoshi Oida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-10-19

Como Citar

Banu, G. (2022). O Ator Estrangeiro ou o Outro no Teatro. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 1(2), 357–372. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/21396

Edição

Seção

Estudos da Presença