Ìpàdé com Mestra Iara Deodoro: memórias do Grupo Afro-Sul, um pedaço da África no Sul do Brasil

Autores

Palavras-chave:

Mestra Iara Deodoro, Dança Afro-Gaúcha, História da Dança, Relações Étnico-Raciais, Rio Grande do Sul.

Resumo

Este artigo trata-se de um recorte da trajetória da artista negra Maria Iara Santos Deodoro a partir de sua atuação artístico-pedagógica junto ao Grupo Afro-Sul de Música e Dança. O artigo também reflete e contextualiza alguns eventos e pontos acerca do debate das relações étnico-raciais no tocante das Artes Cênicas no Sul do Brasil e possíveis desdobramentos. Discute-se a corporeidade, a oralidade e a musicalidade entrelaçadas com a dança enquanto perspectivas afro-orientadas do Grupo Afro-Sul na luta contra o racismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoel Gildo Alves Neto, Universidade Federal de Pelotas

Possui Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Paulista (2013) e Mestrado em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2019). Professor auxiliar do curso de Dança-Licenciatura no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Práticas Artístico-Pedagógicas em Danças Negras, atuando principalmente nos seguintes temas: Epistemologias Decoloniais nas Artes; Práticas Espetaculares de Combate ao Racismo; Educação Antirracista na Formação de Professoras/es de Dança; Culturas e Danças Negras. Coordena o Projeto Unificado LADAIA-Laboratório de Decolonialidade em Ações e Investigações Artísticas. É colaborador do Núcleo Artes do Programa de Residência Pedagógica da UFPel. Membro dos grupos de pesquisa: OMEGA - Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte (UFPel/CNPq); DC-3 Dança Difusão, Ciência, Comunicação, Cultura (UFBa/CNPq); Arte e sua história: visualidades, discursos e sentidos (UFPel/CNPq). É pesquisador associado da ANDA (Associação Nacional de Pesquisadores em Dança) e da ABPN (Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as). Artista/fundador do Coletivo Negressencia e da Atemporânea Cia de Dança. Idealizador e organizador do Seminário de Danças Negras do RS. Homem Negro. Pai desde adolescência. Cotista das Ação Afirmativa de cunho racial em todos os processos seletivos de ingresso a Universidade. Até 2020 assinou sua obra artística como Manoel Luthiery, quando incluiu seu apelido da Capoeira ao nome artístico, passando a assinar como Manoel Luthiery-Timbaí. #blacklivesmatter #vidasnegrasimportam 

Suzane Weber da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas e professora Associada no Departamento de Arte Dramática (UFRGS) com atividade docente desde 1996. Bolsista Capes/Print para realização de Pós-Doutorado na Coventry University/Centre for Dance Research (Reino Unido). Bolsa Capes realização de Doutorado no Canadá em Estudos e Práticas Artísticas pela Université du Québec à Montréal (2010). Mestre em Ciências do Movimento Humano (1999) e Bacharel em Interpretação Teatral (1996) pela UFRGS. Coordenadora do curso de graduação em Teatro 2011/2012. Secretária da ABRACE gestão 2011/2012. Atualmente, desenvolve pesquisa nos seguintes temas : processos de criação cênica; praticas artísticas e somáticas de teatro, de dança e de performance com ênfase em improvisação; arquivos digitais. Atriz e bailarina.

Publicado

2021-12-27

Como Citar

Alves Neto, M. G., & Silva, S. W. da. (2021). Ìpàdé com Mestra Iara Deodoro: memórias do Grupo Afro-Sul, um pedaço da África no Sul do Brasil. Revista Brasileira De Estudos Da Presença, 12(1), 1–27. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/presenca/article/view/113688

Edição

Seção

Dança: História e Historiografia