“O RUGIDO DAS RUAS” EM 15 DE MARÇO DE 2015, NO BRASIL: ACONTECIMENTO, DISCURSO E MEMÓRIA.

Autores

  • Maria do Socorro Aguiar de Oliveira Cavalcante UFAL
  • Fabiano Duarte Machado UFAL

DOI:

https://doi.org/10.22456/2238-8915.57216

Resumo

Este trabalho tem por objetivo refletir sobre o funcionamento da memória na disputa dos sentidos engendrados em protestos que irrompem, no Brasil, no dia 15 de março de 2015, contra o governo da presidente Dilma Roussef. Segundo Courtine (1981, p. 48), “Toda produção discursiva faz circular formulações anteriores, [...] que ela repete, transforma, denega... Isto é: em relação às quais produz efeitos de memória.” Assim, pela via da Análise do Discurso, ancorada no Materialismo Histórico Dialético e a partir das categorias Condições de Produção e Memória discursiva analisamos o funcionamento de materialidades discursivas produzidas pela imprensa e por participantes envolvidos no ‘acontecimento’ de 15 de março.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-11-19

Como Citar

DE OLIVEIRA CAVALCANTE, M. do S. A.; DUARTE MACHADO, F. “O RUGIDO DAS RUAS” EM 15 DE MARÇO DE 2015, NO BRASIL: ACONTECIMENTO, DISCURSO E MEMÓRIA. Organon, Porto Alegre, v. 30, n. 59, 2015. DOI: 10.22456/2238-8915.57216. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/organon/article/view/57216. Acesso em: 30 jun. 2022.