Sobre corpos isolados na imagem: a mise en scène em Sangue negro, de Paul Thomas Anderson

Autores

  • Thiago da Silva Rabelo Universidade Federal de Goiás - Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM)
  • Rosana Maria Ribeiro Borges Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202050.178-198

Palavras-chave:

Cinema. Mise en scène. Sangue negro. Estilo. Paul Thomas Anderson.

Resumo

O artigo possui como temática o estilo no cinema independente norte-americano. O objetivo é investigar elementos de mise en scène presentes no filme Sangue negro (2007), dirigido por Paul Thomas Anderson, associando-os às funções do estilo cinematográfico descritas por Bordwell (2008). De abordagem qualitativa e utilizando como método a análise fílmica, a pesquisa foi delineada com base em três momentos do longa-metragem, escolhidos a partir do interesse em estudar como Anderson conduz o posicionamento e o movimento dos atores dentro do quadro. Como resultado, observou-se que o cineasta, a partir de um constante interesse pelos aspectos mínimos da imagem bidimensional, aposta num recorrente jogo de velar e desvelar em que não apenas corpos e rostos são ocultados e assumidos, mas também representações subjetivas importantes para uma compreensão ampla da narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago da Silva Rabelo, Universidade Federal de Goiás - Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM)

Aluno do Programa de Pós-Graduação, nível Mestrado, da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da Universidade Federal de Goiás. Graduado em Comunicação Social/Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC Goiás. Atua nas áreas de fotografia, cinema, comunicação, audiovisual, crítica cinematográfica e análise fílmica.

Rosana Maria Ribeiro Borges, Universidade Federal de Goiás

Pós-Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2018), Doutora em Geografia pelo Instituto de Estudos Socioambientais da Universidade Federal de Goiás (2013), Mestre em Educação Brasileira pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás (2000), Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Radialismo pela Faculdade de Comunicação e Biblioteconomia da Universidade Federal de Goiás (1996). É professora com dedicação exclusiva vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM - Linha Mídia e Cultura) e ao Curso de Jornalismo da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás, onde atualmente coordena o Curso e o Laboratório de Produções Audiovisuais e Televisivas Integradas (Telalab) e a Linha de Pesquisa em Mídia e Cultura do PPGCOM. Possui atuação no ensino (de graduação e de pós-graduação), na extensão universitária e na pesquisa nas áreas de Jornalismo e Comunicação Social, com ênfase na História da Imprensa, Pesquisa História do Jornalismo e da Comunicação, Jornalismo e Comunicação, Mídia e Cultura, Discursos Jornalísticos e Produção de Sentidos.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Como Citar

Rabelo, T. da S., e R. M. R. Borges. “Sobre Corpos Isolados Na Imagem: A Mise En scène Em Sangue Negro, De Paul Thomas Anderson”. Intexto, nº 50, agosto de 2020, p. 178-9, doi:10.19132/1807-8583202050.178-198.

Edição

Seção

Artigos