Teoria da empatia e modelo praxiológico da comunicação: aproximações (improváveis) entre Flusser e Quéré

Autores

  • Leticia Cantarela Matheus Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Raquel Dornelas Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202051.166-184

Palavras-chave:

Empatia. Alteridade. Modelo praxiológico. Intersubjetividade.

Resumo

O ensaio tem como objetivo fazer uma aproximação entre a noção de empatia na visão de Vilém Flusser e o modelo praxiológico da comunicação, elaborado por Louis Quéré. Tais definições são aqui apresentadas dentro de perspectivas que trabalham a importância da intersubjetividade, da interação entre humanos e do processo de constituição do indivíduo a partir de um movimento de inclinação em direção à alteridade. Nesse sentido, teóricos de escolas e temporalidades distintas são acionados no intuito de mostrar como uma “teoria da empatia” pode ser utilizada como arcabouço teórico contributivo ao modelo praxiológico da comunicação. Conclui-se que, a despeito das diferenças conceituais, ambos os teóricos veem, na relação com a alteridade e na intersubjetividade, o amálgama da experiência humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leticia Cantarela Matheus, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense. Membro do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGCOM-UERJ).

https://orcid.org/0000-0002-2860-2607

Raquel Dornelas, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutoranda em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGCOM-UERJ), bolsista Capes.

https://orcid.org/0000-0001-8951-7396

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Matheus, L. C., e R. Dornelas. “Teoria Da Empatia E Modelo praxiológico Da comunicação: Aproximações (improváveis) Entre Flusser E Quéré”. Intexto, nº 51, dezembro de 2020, p. 166-84, doi:10.19132/1807-8583202051.166-184.

Edição

Seção

Dossiê Flusser: 100 anos