Duas cosmogêneses como chave de leitura para a Ponte Flusseriana do design

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1807-8583202051.320-341

Palavras-chave:

Teoria e crítica do design. Filosofia. Arte. Ciência. Técnica.

Resumo

O presente artigo procura identificar e compreender matrizes estruturantes do pensamento de Vilém Flusser sobre o design, a partir das narrativas cosmogônicas do Prometeu grego e do livro Gênesis bíblico. Os ensaios de Flusser Sobre a palavra design e A alavanca contra-ataca, por concentrarem sua atenção no tema das origens do conhecimento, justificam sua relação com essas duas cosmogêneses da cultura ocidental e com nossa concepção de uma raiz comum para campos do saber, que na atualidade se encontram problematicamente cindidos e hierarquizados. Para estabelecer interlocução com a filosofia de Flusser, recorremos às posições de Gui Bonsiepe, Rafael Cardoso e Tomás Maldonado. Esses teóricos do design seguem caminhos semelhantes aos do filósofo e questionam a cisão do conhecimento e o papel do design diante das rupturas entre a ciência, a técnica e a arte. Como resultado desse método dialógico e analítico, identificamos e explicitamos capacidades de ampliação da realidade inerentes à Ponte Flusseriana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Luciano da Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais

Graduação (1991) e Especialização (2006) em Filosofia pela UFMG. Mestrado (2011) e Doutorado (2019) em Design pela UEMG. Pós-doutorado em andamento pela UEMG (2020-). Pesquisador do grupo do CNPq Design e Representações Sociais (2011). Sócio da Adaequatio Estúdio de Criação Ltda (2000-2016), onde atuou como diretor de arte, arte-finalista e produtor gráfico em expografia, sinalização e editorial. Professor da Escola de Design da UEMG (2013-2017) em Design Editorial, Materiais e Processos de Produção, Fatores Filosóficos e Teoria e Prática Caligráfica. Orientador de projetos de conclusão de curso no mesmo período. Como desdobramento de seus estudos e prática profissional, suas investigações avançam em duas linhas de pesquisa. TEORIA E CRÍTICA DO DESIGN: apropria-se de conceitos da Filosofia, em especial da Ontologia, Teoria do Conhecimento e Estética, reelaborados na tese de doutorado para a fundamentação do Design. ESTUDOS DA ESCRITA: baseia-se na metodologia da sua dissertação de mestrado e do livro Faces e Fontes Multiescrita, unindo as escritas grega, latina, cirílica e hebraica à prática da caligrafia medieval e renascentista, direcionando-as ao design tipográfico multiescrita.

Rita Aparecida da Conceição Ribeiro, Universidade do Estado de Minas Gerais

Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Design da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais. Líder do grupo de pesquisa do CNPq Design e Representações Sociais e pesquisadora do Centro de Estudos em Design da Imagem.e integrante do Grupo de Pesquisa Presente Y Futuro Del Diseño, da Universidad de Palermo, Argentina. Graduada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1984) e Mestre em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). É doutora em Geografia (2008) pela UFMG.Tem experiência Design e Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: design e representações sociais envolvendo os processos de consumo, culturas urbanas, audiovisual, design emocional e divulgação científica.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Luciano da Silva, S., e R. A. da C. Ribeiro. “Duas Cosmogêneses Como Chave De Leitura Para a Ponte Flusseriana Do Design”. Intexto, nº 51, dezembro de 2020, p. 320-41, doi:10.19132/1807-8583202051.320-341.

Edição

Seção

Dossiê Flusser: 100 anos