PROTEINÚRIA: AVALIAÇÃO CLÍNICA E LABORATORIAL

Autores

  • José Vanildo Morales Serviço de Nefrologista, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Porto Alegre, RS. Departamento de Medicina Interna, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.
  • Jordana Guimarães Faculdade de Medicina, UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil.
  • Elvino Barros Serviço de Nefrologista, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Porto Alegre, RS. Departamento de Medicina Interna, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Palavras-chave:

Proteinúria, glomerulopatias, nefrite túbulo-intersticial.

Resumo

Neste artigo, apresentamos uma revisão geral dos aspectos clínicos e laboratoriais do paciente com proteinúria. A proteinúria reflete um aumento na permeabilidade do capilar glomerular. São descritos três tipos básicos de proteinúria: glomerular, tubular ou por aumento da produção. A proteinúria assintomática também pode ser dividida em três categorias: transitória,
ortostática e persistente. A avaliação desses pacientes com proteinúria deve começar com o exame comum de urina, repetido pelo menos duas vezes. O sedimento urinário também deve ser feito, procurando-se sinais de comprometimento glomerular, como: hematúria dismórfica, cilindros hemáticos ou lipidúria. Uma cuidadosa história médica é importante, buscando-se a
presença de hipertensão, diabetes melito, insuficiência cardíaca congestiva ou história prévia de doença renal. A proteinúria persistente pode ser avaliada através da medida na urina de 24 horas ou medindo-se a proteinúria e a creatinina em amostra isolada de urina. A amostra de urina aleatória é um método simples, rápido e com boa correlação com a urina de 24 horas. A
quantidade de proteinúria excretada é importante, do ponto de vista prognóstico, nos pacientes com doença glomerular primária, tais como: glomerulonefrite membranosa, glomerulonefrite por IgA, glomeruloesclerose segmentar e focal. Nesses pacientes, quanto maior for a proteinúria,
maior será o risco de lesão renal.
Unitermos: Proteinúria, glomerulopatias, nefrite túbulo-intersticial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-01-29

Como Citar

1.
Morales JV, Guimarães J, Barros E. PROTEINÚRIA: AVALIAÇÃO CLÍNICA E LABORATORIAL. Clin Biomed Res [Internet]. 29º de janeiro de 2020 [citado 8º de dezembro de 2022];26(3). Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/99823

Edição

Seção

Artigos de Revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>