Análise comparativa entre as metodologias de PCR metilação-específica (MSP), Southern blot (SB) e FISH utilizadas no diagnóstico genético molecular de pacientes com suspeita clínica das síndromes de Prader-Willi ou Angelman

Autores

  • Bruna Oliveira Laboratório de Genética Molecular Serviço de Genética Médica Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Letícia da Cunha Veber Centro Universitário Metodista, IPA, Porto Alegre, RS
  • Têmis Maria Félix Laboratório de Genética Molecular Serviço de Genética Médica Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA)
  • Mariluce Riegel Laboratório de Genética Molecular Serviço de Genética Médica Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Isabel Cristina Bandeira da Silva Laboratório de Genética Molecular Serviço de Genética Médica Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA)
  • Carla Streit Centro Universitário Metodista, IPA, Porto Alegre, RS
  • Sandra Leistner-Segal Laboratório de Genética Molecular/Serviço de Genética Médica Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) http://orcid.org/0000-0003-3792-6168

Palavras-chave:

metilação, imprinting, Prader-Willi, Angelman

Resumo

Introdução: Prader-Willi (SPW) e Angelman (SA) são síndromes clinicamente distintas, causadas pela perda de expressão de genes na região cromossômica 15q11.2-q13, de origem paterna ou materna, respectivamente. Ambas compartilham os mesmos métodos diagnósticos. Nossos objetivos foram: a) analisar por PCR metilação-específica (MSP) pacientes com suspeita clínica de SPW/SA; b) comparar resultados de diferentes metodologias de diagnóstico molecular; c) aplicar a técnica MSP na rotina assistencial de pacientes encaminhados ao Serviço de Genética Médica/Hospital de Clínicas de Porto Alegre (SGM/HCPA).

Métodos: Foram analisados 123 pacientes com suspeita clínica de SPW (n = 71) ou SA (n = 52) por MSP. Desses, 79 possuíam análise prévia por hibridação in situ fluorescente (FISH) e/ou Southern blot (SB).

Resultados: Foram detectados 21 casos positivos – 15 de SPW (12,19%) e 6 de SA (4,88%). Nove pacientes tiveram etiologia molecular determinada, sendo sete com diagnóstico de SPW (quatro dissomias uniparentais – UPD15 materna – e três deleções na região 15q11-13) e dois com diagnóstico de SA (um com UPD15 paterna e um com deleção na região 15q11-13). Foram observados resultados equivalentes entre MSP e SB e resultados discrepantes entre MSP e FISH (n = 4). Foram padronizados dois protocolos de MSP para confirmação dos resultados e controle interno de qualidade.

Conclusão: O perfil de detecção de cada técnica varia de acordo com o mecanismo etiológico presente. A análise por MSP detecta alterações no padrão de metilação geradas por deleção, UPD e defeitos de imprinting, sem identificar o mecanismo etiológico responsável. Contudo, mostrou ser eficiente para confirmação do diagnóstico clínico e screening dos pacientes com suspeita clínica sugestiva de SPW e SA. Diante de resultados positivos, é importante a identificação do mecanismo molecular subjacente para correlação genótipo-fenótipo e determinação do risco de recorrência familiar, fundamental para o aconselhamento genético.

 Palavras-chave: Metilação; imprinting; Prader-Willi; Angelman

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-08-12

Como Citar

1.
Oliveira B, Veber L da C, Félix TM, Riegel M, da Silva ICB, Streit C, Leistner-Segal S. Análise comparativa entre as metodologias de PCR metilação-específica (MSP), Southern blot (SB) e FISH utilizadas no diagnóstico genético molecular de pacientes com suspeita clínica das síndromes de Prader-Willi ou Angelman. Clin Biomed Res [Internet]. 12º de agosto de 2016 [citado 2º de dezembro de 2022];36(2). Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/64823

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)