Associação entre diabetes mellitus e gravidade da doença arterial coronariana em pacientes submetidos a intervenção coronária percutânea

Autores

  • Simone de Souza Fantin Programa de pós-graduação em ciências da Saúde: Cardiologia e Ciência Cardiovasculares, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS, Brasil Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS, Brasil
  • Beatriz D’Agord Schaan Serviço de Endocrinologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul/ Fundação Universitária de Cardiologia (IC/FUC)
  • Priscila Ledur Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS, Brasil Programa de Pós-Graduação em Endocrinologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS, Brasil Instituto de Cardiologia do RS/Fundação Universitária de Cardiologia, RS, Brasil
  • Carísi Anne Polanczyk Programa de pós-graduação em ciências da Saúde: Cardiologia e Ciência Cardiovasculares, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS, Brasil Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS, Brasil
  • Marco Vugman Wainstein Programa de pós-graduação em ciências da Saúde: Cardiologia e Ciência Cardiovasculares, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS, Brasil Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS, Brasil

Palavras-chave:

Diabetes Mellitus, Doença das Coronárias, Angioplastia

Resumo

Introdução: O diabetes mellitus está associado a um risco aumentado de doenças cardiovasculares. Pacientes com diabetes submetidos à revascularização miocárdica por intervenção coronariana percutânea (ICP) apresentam piores respostas ao tratamento, desenvolvendo mais complicações e reestenoses em curto e longo prazo. Objetivos: Avaliar a prevalência de diabetes mellitus buscando associação com a gravidade da doença arterial coronária (DAC) em pacientes submetidos à ICP em centro de referência no sul do Brasil. Métodos: Estudo transversal. Avaliados todos os pacientes submetidos à ICP entre novembro/2006 e dezembro/2007 em hospital de referência. Aplicado questionário previamente ao procedimento e realizada glicemia capilar em jejum. Realizada regressão logística para avaliar a associação entre diabetes e DAC. Resultados: Foram realizadas 617 ICPs, implantados 718 stents em 569 indivíduos (1,32 stents por intervenção). Destes, 177 pacientes (32,2%) foram considerados diabéticos. Características demográficas, fatores de risco para DAC, vaso-alvo, diâmetro do vaso e extensão da lesão foram semelhantes entre os grupos. Doença arterial coronária grave, categoria III e IV, foi encontrada em 51,2% dos pacientes com diabetes comparado com 37,6% dos sem diabetes (p< 0.001). Houve correlação significativa entre os níveis de glicemia e a gravidade da DAC (p<0,05). Conclusões: Existe associação entre a presença de diabetes e a gravidade angiográfica da DAC em pacientes submetidos à ICP, o que sugere que esta maior gravidade possa contribuir para os desfechos adversos nestes pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-09

Como Citar

1.
Fantin S de S, Schaan BD, Ledur P, Polanczyk CA, Wainstein MV. Associação entre diabetes mellitus e gravidade da doença arterial coronariana em pacientes submetidos a intervenção coronária percutânea. Clin Biomed Res [Internet]. 9º de outubro de 2012 [citado 8º de dezembro de 2022];32(3). Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/26738

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)