Análise de prescrições medicamentosas dispensadas na Farmácia de uma Unidade Básica de Saúde de Porto Alegre - RS

Autores

  • Paula Guzatto Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Denise Bueno UFRGS/Faculdade de Farmácia

Palavras-chave:

Assistência Farmacêutica. Uso Racional de Medicamentos. Erros de Medicação. Atenção Primária. Prescrições Médicas.

Resumo

Objetivo: Avaliar os erros nas prescrições atendidas e o percentual de retirada efetiva de medicamentos, permitindo uma com-preensão de como o medicamento contribui para a orientação da assistência farmacêutica na Unidade Básica de Saúde (UBS) Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) - Santa Cecília. Métodos: Estudo longitudinal retrospectivo a partir de prescrições dispensadas em uma Unidade Básica de Saúde em Porto Alegre-RS, durante o período de um mês, incluindo todas as prescrições que tiveram no míni-mo um item dispensado. Parâmetros analisados: 1) procedência da prescrição médica; 2) demanda não-atendida; 3) utilização do nome comercial; 4) posologia; 5) data; 6) dados de identificação do paciente; 7) dados de identificação do prescritor; 8) legibilidade da receita. Resultados: Foram avaliadas 3.701 prescrições medicamentosas. Quanto à procedência, 24,2% (894) das prescrições foram oriundas do HCPA; 49,3% (1.824), da UBS HCPA-Santa Cecília; 9,6% (357), de outros postos de saúde; 9,1% (338), de convênios/particulares; 7,6% (280), de outros hospitais; 0,2% (7) não apresentavam identificação de procedência. Na totalidade das prescrições, 10.189 medi-camentos foram prescritos, o que corresponde a uma média de 2,75 (±1) medicamentos por prescrição. Os medicamentos dispensados pela farmácia da UBS HCPA-Santa Cecília corresponderam a 67,1% deste total. Do total de medicamentos que não foram dispensados, 74,7% pertenciam à Relação Municipal de Medicamentos. Das 3.701 prescrições analisadas, 18% apresentavam algum tipo de erro. Foram encontrados 3.519 erros somatórios, considerando que uma mesma prescrição apresentou mais de um erro. A média de erro por prescrição foi de 5,3 (±2). Conclusão: Para alcançarmos resultados positivos na terapêutica, a educação permanente sobre a impor-tância da prescrição de medicamentos para os profissionais da saúde torna-se necessária, evitando os erros de prescrição e, em muitos casos, de demanda não-atendida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Guzatto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Farmácia Departamento de Produção e Controle de Medicamentos Porto Alegre, Rio Grande do Sul – Brasil

Denise Bueno, UFRGS/Faculdade de Farmácia

Doutora em Ciências Biológicas - Bioquímica

Downloads

Publicado

2008-02-18

Como Citar

1.
Guzatto P, Bueno D. Análise de prescrições medicamentosas dispensadas na Farmácia de uma Unidade Básica de Saúde de Porto Alegre - RS. Clin Biomed Res [Internet]. 18º de fevereiro de 2008 [citado 3º de outubro de 2022];27(3). Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/1982

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2