Bioimpedância Elétrica e Antropometria na Avaliação Nutricional de Adolescentes com Sintomas de Ansiedade

Autores

  • Diane Cristina Fiaminghi UFRGS
  • Vera Lúcia Bosa UFRGS
  • Giovanni Abrahão Salum Jr. UFRGS
  • Gisele Gus Manfro UFRGS/HCPA
  • Ilaine Schuch UFRGS

Palavras-chave:

Avaliação nutricional, Bioimpedância elétrica, Antropometria, Adolescentes, Ansiedade.

Resumo

Introdução: Algumas evidências apontam para uma associação positiva entre obesidade e sobrepeso com sintomas de ansiedade em crianças e adolescentes. No entanto, poucos estudos se dedicaram a estudar os métodos para a correta avaliação do estado nutricional em crianças ansiosas.

Objetivo: Comparar o perfil nutricional estimado por bioimpedância elétrica (BIA) e antropometria em adolescentes com sintomas de ansiedade.

Métodos: A amostra foi composta por 225 escolares com um alto nível de sintomas de ansiedade de ambos os sexos com idades entre 10 e 19 anos. A presença de sintomas de ansiedade foi avaliada pelo Auto-relato para Transtornos Relacionados à Ansiedade na Infância (SCARED-C) e a avaliação nutricional foi realizada através do peso, estatura, Índice de Massa Corporal (IMC), circunferência da cintura (CC), percentual de gordura corporal obtido através da bioimpedância elétrica (%GC-BIA) e percentual de gordura corporal obtido através de equações de predição que levam em conta as dobras cutâneas tricipital e subescapular (%GC-DC). Os métodos de avaliação nutricional foram correlacionados através do coeficiente de correlação produto-momento de Pearson. O nível de concordância entre o %GC-BIA e o %GC-DC foi medido através do coeficiente Kappa.

Resultados: As correlações entre todos os métodos foram estatisticamente significantes, com tamanho de efeito alto para as dobras cutâneas e moderadas a fortes para %GC-BIA com os outros métodos. Apesar disso, a concordância observada entre as medidas do %GC-BIA e o %GC-DC mostrou que há uma concordância satisfatória entre os métodos.

Conclusão: Embora mais estudos sejam necessários, controlando as diferenças entre os métodos em população não ansiosa, a bioimpedância elétrica pode ser uma boa alternativa, em relação aos métodos antropométricos, na avaliação nutricional de adolescentes com sintomas de ansiedade.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diane Cristina Fiaminghi, UFRGS

Nutricionista, graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Vera Lúcia Bosa, UFRGS

Professora do Curso de Nutrição da FAMED/UFRGS, Departamento de Pediatria.

Giovanni Abrahão Salum Jr., UFRGS

Aluno de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Psiquiatria da UFRGS.

Gisele Gus Manfro, UFRGS/HCPA

Professora. Adj. Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal (UFRGS). Coordenadora do Programa de Transtornos de Ansiedade do HCPA.

Ilaine Schuch, UFRGS

Professora do Curso de Nutrição da FAMED/UFRGS, Departamento de Medicina Social.

Downloads

Publicado

2010-10-14

Como Citar

1.
Fiaminghi DC, Bosa VL, Salum Jr. GA, Manfro GG, Schuch I. Bioimpedância Elétrica e Antropometria na Avaliação Nutricional de Adolescentes com Sintomas de Ansiedade. Clin Biomed Res [Internet]. 14º de outubro de 2010 [citado 4º de julho de 2022];30(3). Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/15614