Avaliação do consumo de frutas em pacientes com diabetes mellitus tipo 2

Autores

  • Adriana Oliveira de Barros Graduação em Nutrição, Universidade de Caxias do Sul - Campus Universitário da Região das Hortênsias, Canela, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Roberta Aguiar Sarmento Divisão de Endocrinologia, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Centro de Pesquisa em Alimentação e Nutrição, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Divisão de Endocrinologia, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Juliana Peçanha Antônio Divisão de Endocrinologia, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Centro de Pesquisa em Alimentação e Nutrição, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Jussara Carnevale de Almeida Centro de Pesquisa em Alimentação e Nutrição, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Departamento de Nutrição, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Bruna Bellincanta Nicoletto Graduação em Nutrição, Área do Conhecimento de Ciências da Vida, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-9378-1130

Palavras-chave:

frutas, diabetes mellitus tipo 2, recomendações nutricionais.

Resumo

Introdução: O impacto do consumo de frutas sobre a saúde de pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (DM2) requer investigações. Objetivo é avaliar o consumo de frutas em pacientes com DM2 e identificar a sua associação com parâmetros de controle glicêmico.
Métodos: Incluídos 197 pacientes ambulatoriais com DM2, submetidos à avaliação clínica, sociodemográfica, antropométrica, laboratorial e de consumo alimentar. A ingestão alimentar total e o consumo de frutas foram avaliados por questionário quantitativo de frequência alimentar. Pacientes com menor e maior consumo de frutas (de acordo com a mediana) foram comparados. 
Resultados: Média do consumo de frutas foi de 593,66 ± 330,74 g/dia. Entre os menores e maiores consumidores de frutas, os valores de glicemia (169,42 ± 70,83 vs. 158,62 ± 64,56 mg/dL; p = 0,273) e hemoglobina glicada (8,39 ± 1,68 vs. 8,68 ± 2,38%;
p = 0,319) não foram diferentes, assim como as demais variáveis.  O grupo que mais consumiu frutas apresentou uma maior ingestão de vitamina C (p < 0,001) e potássio (p < 0,001) e um menor consumo de sódio (p = 0,001). Observou-se uma correlação negativa entre o consumo de frutas e o índice glicêmico da dieta (p = 0,05). 
Conclusão: Não houve diferença na glicemia em jejum e no valor de hemoglobina glicada entre os pacientes com DM2 com maior e menor consumo de frutas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-05-25

Como Citar

1.
Barros AO de, Sarmento RA, Antônio JP, Almeida JC de, Nicoletto BB. Avaliação do consumo de frutas em pacientes com diabetes mellitus tipo 2. Clin Biomed Res [Internet]. 25º de maio de 2022 [citado 6º de julho de 2022];42(1). Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/113807

Edição

Seção

Artigos Originais