Efeitos do fumo materno durante a gestação e complicações perinatais.

Autores

  • Adriani Oliveira Galão UFRGS
  • Stephan Adamour Soder UFRGS
  • Moisés Gerhardt UFRGS
  • Theo Halpern Faertes UFRGS
  • Marília Sfredo Krüger UFRGS
  • Diego Fraga Pereira UFRGS
  • Clarissa Moreira Borba UFRGS

Palavras-chave:

Crescimento Intrauterino restrito, complicações, tabagismo/efeitos adversos, desfechos na gravidez, desfechos no nascimento

Resumo

Objetivos: avaliar o perfil de puérperas do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), a prevalência do tabagismo entre elas e consequências deste hábito no binômio mãe-bebê.

Métodos: estudo prospectivo, transversal. Incluídas pacientes hígidas, com gestação a termo, excluídas pacientes com recém-nascidos (RNs) com crescimento intrauterino restrito, gestações múltiplas, bebês com anormalidades cromossômicas, malformações, infecção intrauterina e dados incompletos. Variáveis contínuas descritas por medidas de tendência central e dispersão (média e DP padrão ou mediana e amplitudes interquartis); variáveis categóricas como freqüências absolutas e relativas. Projeto aprovado pelo GPPG do HCPA. Todas as pacientes assinaram termo de consentimento informado.

Resultados: 718 puérperas, 23% eram tabagistas na gestação. Não houve diferença estatisticamente significativa com relação à idade materna, número de cesarianas ou abortos e idade gestacional no momento do parto. Maior número de gestações prévias, ser solteira/separada, não branca, menor escolaridade e não realizar pré-natal foram fatores de risco para o tabagismo na gravidez. O peso dos RNs foi estatisticamente menor no grupo das gestantes tabagistas, com variação média de 143g a menos nesse grupo. O número de bebês pequenos para idade gestacional foi significativamente maior no grupo de gestantes fumantes. Evolução do bebê, peso da placenta e índice de Apgar não houve diferença estatística entre os grupos.

Conclusão: o estudo foi relevante para o conhecimento do perfil das puérperas fumantes do HCPA e apontou a importância da realização de pré-natal e busca de estratégias de tratamento para estas pacientes com prevenção de complicações gestacionais e perinatais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriani Oliveira Galão, UFRGS

Professora Adjunta do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Stephan Adamour Soder, UFRGS

Acadêmico da Faculdade de Medicina- FAMED da Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS

Moisés Gerhardt, UFRGS

Acadêmico da Faculdade de Medicina- FAMED da Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS

Theo Halpern Faertes, UFRGS

Acadêmico da Faculdade de Medicina- FAMED da Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS

Marília Sfredo Krüger, UFRGS

Acadêmica da Faculdade de Medicina- FAMED da Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS

Diego Fraga Pereira, UFRGS

Acadêmico da Faculdade de Medicina- FAMED da Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS

Clarissa Moreira Borba, UFRGS

Acadêmica da Faculdade de Medicina- FAMED da Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS

Downloads

Publicado

2010-01-08

Como Citar

1.
Galão AO, Soder SA, Gerhardt M, Faertes TH, Krüger MS, Pereira DF, Borba CM. Efeitos do fumo materno durante a gestação e complicações perinatais. Clin Biomed Res [Internet]. 8º de janeiro de 2010 [citado 3º de dezembro de 2022];29(3). Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/10669

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)