Discursos de autolegitimação do ensino da arte: alguns problemas histórico-conceituais

Autores

  • Cayo Honorato Universidade de Brasília — UnB, Brasília/DF

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.86132

Palavras-chave:

Ensino da Arte. Autolegitimação. Políticas Educacionais.

Resumo

Por meio de uma análise dos argumentos que foram mobilizados pelo ensino da arte após a publicação da Medida Provisória n. 746, em setembro de 2016, assim como dos argumentos que têm sido mobilizados pela literatura da área desde os anos 1970, com base principalmente em textos e entrevistas de Ana Mae Barbosa, este artigo propõe uma discussão (histórica e reflexiva) sobre o modo como temos defendido a importância do ensino das artes na educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cayo Honorato, Universidade de Brasília — UnB, Brasília/DF

É Professor Adjunto no Departamento de Artes Visuais (VIS) do Instituto de Artes (IdA) da Universidade de Brasília (UnB), na área de História e Teoria da Educação em Artes Visuais; orientador de mestrado credenciado no Programa de Pós-graduação em Arte da UnB. Doutor em Educação pela Faculdade de Educação (FE) da Universidade de São Paulo (USP), na linha de Filosofia e Educação, com estágio na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Granada (UGR), Espanha; mestre em Educação pela Faculdade de Educação (FE) da Universidade Federal de Goiás (UFG), na linha de Cultura e Processos Educacionais; especialista em Arte Contemporânea e bacharel em Artes Visuais pela Faculdade de Artes Visuais (FAV) da UFG. É vice-líder do grupo Mediação em Arte e Cultura: Teorias e Práticas, cadastrado no CNPq. Integra a rede Another Roadmap for Arts Education desde 2015. É pesquisador associado do Centre for the Study of the Networked Image (CSNI) da London South Bank University (LSBU), Reino Unido, desde 2018.

Referências

BARBOSA, Ana Mae. Teoria e prática da educação artística. São Paulo: Cultrix, 1975.

BARBOSA, Ana Mae. Arte-educação: conflitos/acertos. São Paulo: Max Limonad, 1984.

BARBOSA, Ana Mae. (Org.). Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2002.

BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

BARBOSA, Ana Mae. (Org.). Ensino da arte: memória e história. São Paulo: Perspectiva, 2008.

BARBOSA, Ana Mae. A importância do ensino das artes na escola; entrevista a Beatriz Morrone. Revista Época, 16 mai. 16 [2016a]. Disponível em <https://glo.bo/1R6KoBx>. Acesso em 27 jun. 2018.

BARBOSA, Ana Mae. Era uma vez… A obrigatoriedade das artes no currículo do ensino médio. Revista Select, n. 33, 13 dez. 16 [2016b]. Disponível em <http://bit.ly/2wEyHnD>. Acesso em 30 jun. 2018.

BARROCAL, André. “Doutrina do choque” explica Brasil de Michel Temer. Revista Carta Capital, 26 ago. 2017. Disponível em <https://bit.ly/2IEPoB1>. Acesso em 30 jun. 2018.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC, 1997.

FAEB. Nota pública da FAEB sobre a Medida Provisória do Ensino Médio. 23 set. 2016. Disponível em <http://bit.ly/2vbpQta>. Acesso em 27 jun. 2018.

FAEB. Carta de Campo Grande sobre as mudanças no Ensino Médio para o ensino de arte. 18 nov. 2017. Disponível em <http://bit.ly/2AMNTAO>. Acesso em 27 jun. 2018.

FAVARETTO, Celso. Moderno, pós-moderno, contemporâneo: na educação e na arte. São Paulo: USP, 2004. Tese de Livre-Docência.

FCG. Nota de Repúdio do VI Encontro do Fórum de Coordenadores dos Cursos de Graduação em Artes Visuais. 26 set. 2016. Disponível em <https://bit.ly/2KrFFjg>. Acesso em 27 jun. 2018.

GAZTAMBIDE-FERNÁNDEZ, Rubén. Why the Arts Don’t do Anything: Toward a New Vision for Cultural Production in Education. Harvard Educational Review, v. 83, n. 1, pp. 660-685, Spring 2013. Disponível em: <http://bit.ly/2jQEtNa>. Acesso em 08 jul. 2018.

LANGER, Susanne K. The Cultural Importance of the Arts. The Journal of Aesthetic Education, Vol. 1, No. 1 (Spring, 1966), pp. 5-12. Disponível em <https://bit.ly/2ILFqOj>. Acesso em 02 jul. 2018.

LYOTARD, Jean-François. A condição pós-moderna. São Paulo: José Olympio, 2000.

WILLIS, Paul. Common culture – symbolic work at play in the everyday cultures of the young. Boulder; San Franscisco: Westview Press, 1993.

Downloads

Publicado

2018-12-30

Como Citar

HONORATO, C. Discursos de autolegitimação do ensino da arte: alguns problemas histórico-conceituais. Revista GEARTE, [S. l.], v. 5, n. 3, 2018. DOI: 10.22456/2357-9854.86132. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/86132. Acesso em: 2 jul. 2022.