Experimentação audiovisual: considerações sobre a produção de subjetividades na grande mídia

Autores

  • Jéssica Thaís Demarchi Universidade Federal de Pelotas – UFPel, Pelotas/RS
  • Cláudio Tarouco de Azevedo Universidade Federal de Pelotas – UFPel, Pelotas/RS

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.75015

Palavras-chave:

Vídeo experimental. Ecosofia. Mídia.

Resumo

O artigo que aqui se apresenta vislumbra uma discussão acerca de alguns aspectos da produção de subjetividades nutrida por determinados recortes da grande mídia audiovisual. Tendo sido o método cartográfico o fio condutor dos procedimentos de construção da presente pesquisa, será apresentado um programa de oficinas de vídeo experimental que foi desenvolvido como projeto pedagógico. Baseadas na lógica ecosófica, as oficinas ambicionam a problematização dos mecanismos de produção de subjetividades na esfera audiovisual que permeia a cultura visual contemporânea. Além disso, o projeto deseja auxiliar os participantes para que, através de uma desestabilização do olhar acostumado aos padrões midiáticos, possam explorar suas subjetividades de maneira livre por intermédio das conexões de sentidos engendradas durante a experiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Thaís Demarchi, Universidade Federal de Pelotas – UFPel, Pelotas/RS

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal de Pelotas (PPGAV/UFPEL). Integrante do grupo de pesquisa "Núcleo Transdisciplinar de Estudos Estéticos/ NUTREE" liderado pela Dra. Mirela Ribeiro Meira e do grupo "Arte, Ecologia e Saúde" liderado pelo Dr. Cláudio Tarouco de Azevedo. Graduou-se em Artes Visuais - Licenciatura pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG.

Cláudio Tarouco de Azevedo, Universidade Federal de Pelotas – UFPel, Pelotas/RS

Pós-doutor em Artes Visuais (2016), doutor (2013) e mestre (2010) em Educação Ambiental e graduado em Artes Visuais Licenciatura. Professor do Curso de Artes Visuais e do Mestrado em Artes Visuais da Universidade Federal de Pelotas - UFPel. Participa do Núcleo Transdisciplinar de Estudos Estéticos - NUTREE e lidera o Grupo de Pesquisa Arte, Ecologia e Saúde - GPAES.

Referências

ADORNO, Theodor. Indústria cultural e sociedade. 10. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

BOURRIAUD, Nicolas. Estética Relacional. São Paulo: Martins, 2009.

BARROS, Laura Pozzana de; KASTRUP, Virgínia. Cartografar é acompanhar processos. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015. p. 52-75.

CHAUI, Marilena. Simulacro e poder: uma análise da mídia. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2006.

GUATTARI, Félix. As três ecologias. 11. ed. Campinas: Papirus, 2001.

MACHADO, Arlindo. Pioneiros do vídeo e do cinema experimental na américa latina. Significação: Revista de Cultura Audiovisual, São Paulo, v. 37, n. 33, p. 21-40, jun./set. 2010.

MIRZOEFF, Nicholas. Una introducción a la cultura visual. Barcelona: Paidós Arte y Educación, 2003.

ROMAGNOLI, Roberta. A cartografia e a relação pesquisa e vida. Psicologia & Sociedade, Florianópolis, v. 21, n. 2, p. 166-173, ago. 2009.

Downloads

Publicado

2017-12-28

Como Citar

DEMARCHI, J. T.; AZEVEDO, C. T. de. Experimentação audiovisual: considerações sobre a produção de subjetividades na grande mídia. Revista GEARTE, [S. l.], v. 4, n. 3, 2017. DOI: 10.22456/2357-9854.75015. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/75015. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Design e Cultura Visual no Ensino de Artes Visuais