De linhas e marcas de existência: o evento pedagógico como evento artístico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.116798

Palavras-chave:

Pedagogia do evento. Imanência da aprendizagem. Investigação Baseada em Arte. Linhas de aprendizagem.

Resumo

Este artigo apresenta reflexões provenientes dos Estágios Supervisionados em Artes Visuais na Universidade de Brasília sobre a aula como uma marca na construção de uma vida. Com base nas ideias da pedagogia do evento e imanência da aprendizagem de Denis Atkinson e da metodologia de Investigação Baseada em Arte (IBA), a autora analisa linhas de fuga à rigidez dos modelos educativos transcendentalistas com cinco aberturas nos processos de aprendizagem: à imaginação, subjetivação, corporificação, singularização e diferenciação. Com isto, aponta para a relevância de criar eventos pedagógicos como eventos artísticos que considerem as linhas de aprendizagem dos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Fernández, Universidade de Brasília — UnB, Brasília/DF

Professora Adjunta nível 3 do Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade de Brasília. Doutora em Arte pela mesma Universidade. Sua pesquisa é sobre eventos artísticos como pedagogias culturais, estética e política, estéticas decoloniais, políticas de identidade, a virada pedagógica na arte e a virada da visualidade na educação, Objetos de Aprendizagem e tecnologias na educação em visualidades.

Referências

ATKINSON, Dennis. Art, Equality and Learning: Pedagogies against the State. Rotterdam: Sense Publishers, 2011.

ATKINSON, Dennis. Art, Disobedience and Ethics: the adventure of pedagogy. London: Palgrave Macmillan, 2018.

BADIOU, Alain. Being and Event. New York: Continuum 2005.

BARONE, Tom; EISNER, Elliot. Arts Based Research. LA: SAGE, 2012.

BIESTA, Gert. A New Logic of Emancipation: the methodology of Jacques Rancière. Educational Theory. vol. 60, n° 1, p. 39-59, 2010.

BIESTA, Gert. Science or Democracy Knowledge: Evaluation and Judgment in the Knowledge Society. UK: University of Stirling, 2012. Disponível em: <http://static.sdu.dk/mediafiles//images/om_sdu/faellesadministrationen/sdue/gert%20biesta.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2012.

DEWEY, John. Arte como Experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

DIAS, Belidson. Investigação Baseada em Arte em tempo de mudança da Arte Educação. 2016. In: VENTURELLI, Suzete; ROCHA, Cleomar (org.) Mutações, confluências e experimentações na Arte e Tecnologia. 1ed Brasília: Editora PPG/ARTE UNB, p. 7-24, 2016.

DUNCUM, Paul. Toward a Playful Pedagogy. Popular Culture and the Pleasures of Transgression. Studies in Art Education. vol 50, n 3, p. 232-244, 2009.

FERNÁNDEZ, Tatiana. O evento artístico como pedagogia. Tese doutoral. Programa Pós-Graduação em Artes Visuais, Departamento de Artes Visuais, Instituto de Artes, Universidade de Brasília, p. 321, 2015.

FERNÁNDEZ, Tatiana. Criatividade, Poética e autosabotagem na educação em visualidades. In: MIRANDA, Fernando; VICCI, Gonzalo; ARDANCHE, Melissa (org.) Dispositivos y Artefactos, Narrativas y Mediaciones. Actas del I Seminario Internacional en Arte y Cultura Visual. Universidad de la República, Montevideo Uruguay, p. 608 -6012, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. 17 ed.

GARDNER, Howard. Frames of Mind: The theory of multiple intelligences. New York: Basic Books, 2011.

GIROUX, Henry. Border Crossings: Cultural Workers and the Politics of Education. New York: Routledge, 2005.

GREENE, Maxine. Releasing the Imagination: Essays on Education, the Arts, and Social Change. San Francisco: Yossey-Bass, 2000.

GUATTARI, Felix. Chaosmosis: an ethico-aesthetic paradigm. Indianapolis: Indiana University Press, 1995.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2017.

JULIUS, Anthony. Transgressions: the offences of art. Chicago: University of Chicago, 2003.

RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do Sensível. São Paulo: Editora 34, 2009.

RANCIÈRE, Jacques. The Emancipated Spectator. London: Verso, 2011.

ROLNIK, Suely. Esferas da Insurreição: notas para uma vida não cafetinada. N-1 Edições, 2018.

PINAR, William; IRWIN, Rita. Curriculum in a New Key: The Collected Works of Ted. T. Aoki. London: Lawrence Erlbaum Associates, 2005.

SPIVAK, Gayatri. An Aesthetic Education in the Era of Globalization. Cambridge: Harvard University Press, 2012.

SULLIVAN, Graeme. Art Practice as Research: Inquiry in Visual Arts. LA: SAGE Publications, 2010.

WRIGHT, Stephen. Spy Art: Infiltrating the Real, Afterimage, n° 34, vol. 1–2, p. 52–55, 2006.

WRIGHT, Stephen. Behind Police lines: Art Visible and Invisible. Art And Research: A Journal of Ideas, Contexts and methods. Vol. 2, n° 1, Summer, 2008. Disponível em: <http://www.artandresearch.org.uk/v2n1/wright.html > Acesso em: 27 fev. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

FERNÁNDEZ, T. De linhas e marcas de existência: o evento pedagógico como evento artístico. Revista GEARTE, [S. l.], v. 8, n. 3, 2021. DOI: 10.22456/2357-9854.116798. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/116798. Acesso em: 20 ago. 2022.

Edição

Seção

Proposições educativas e formativas em arte: do (im)previsível dessas composições aos arranjos e invenções de uma aula