A obra artística fotográfica de Pierre Verger em processos de ensino, aprendizagem e criação em artes no ensino médio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2357-9854.109306

Palavras-chave:

Educação. Pierre Verger. Fotografia. Identidade cultural. Releitura.

Resumo

Esse trabalho aborda a obra fotográfica de Pierre Verger, na perspectiva da (re)leitura das suas imagens como suporte interpretativo no ensino de artes. A experiência ocorreu em uma turma de escola pública de ensino médio no município de Lauro de Freitas, Bahia, Brasil. Como fio propulsor traz a premissa de Ana Mae Barbosa, na qual é preciso desenvolver nos alunos a consciência política, a desmistificação dos mitos colonizadores e o estudo de movimentos descolonizadores. Analisou-se 30 imagens selecionadas do acervo da Fundação Pierre Verger, cujos critérios de seleção foram figuras humanas e elementos da cultura baiana. A dialética das (re)leituras e da produção autônoma resultou em uma potente intervenção na própria realidade e visão de mundo dos alunos.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Brazil, Secretaria de Educação do Estado da Bahia — Salvador/BA

Possui graduação em Licenciatura em Desenho e Plástica pela Universidade Federal da Bahia (2010), Especialização em Desenvolvimento Infantil e seus Transtornos (2012) e Mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia e Universidade do Estado de Santa Catarina (UFBA/UDESC - 2020). Foi professora de Artes na educação infantil e fundamental da rede privada em Salvador e Lauro de Freitas, Bahia. Atualmente é professora de Artes Visuais no Ensino Médio da rede pública do Estado da Bahia. Tem experiência na área de arte-educação, com ênfase em Artes Plásticas, atuando principalmente nos seguintes temas: Processos de ensino/aprendizagem em artes, linguagens artísticas e Identidade cultural.

Marise Berta Souza, Universidade Federal da Bahia — UFBA, Salvador/BA

Possui graduação em Direito pela Universidade Católica do Salvador ( UCSal - 1977), mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA -1999) e doutorado em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (2007). É professora Associada I do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos da Universidade Federal da Bahia (IHAC/UFBA). Docente Permanente do Mestrado Profissional em Artes. Produtora e realizadora audiovisual. Atua nas áreas de Comunicação e Artes, com ênfase em Cinema, tratando principalmente dos seguintes temas: cinema brasileiro, cultura brasileira e audiovisual.

Referências

ARAÚJO, Gustavo Cunha; OLIVEIRA, Ana Arlinda. Sobre Métodos de Leitura de Imagem no Ensino da Arte Contemporânea. Imagens da Educação, n.3(2):70-76, 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/270084926. Acesso em: 14.07.2020. doi: 10.4025/imagenseduc.v3i2.20238.

ARRIAGA, Imanol Aguirre. Ana Mae Barbosa ou como navegar entre a fidelidade a um ideário e a “incessante busca de mudança”. In: BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. A imagem no ensino de arte: anos oitenta e novos tempos. 9a Edição. São Paulo: Editora Perspectiva Ltda, 2014 p. XI a XXIV.

ATHAYDE, Sylvia. Flashes da vida cultural e artística na Bahia, nas décadas de 50 e 60. 2009. Disponível em: <https://leiamaisba.com.br/2009/10/20/flahes-da-vida-cultural-e-artistica-na-bahia-nas-decadas-de-50-e-60>. Acesso em: 06.07.2020.

AZEVEDO, Fernando Antônio Gonçalves; ARAÚJO, Clarissa Martins. Abordagem Triangular: leitura de imagens de diferentes códigos estéticos e culturais. Revista GEARTE, Porto Alegre, v. 2, n. 3, p. 345-358, dez. 2015. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/gearte. Acesso em: 28.10.2019.

BALISCEI, João Paulo; TERUYA, Teresa Kazuko. Leitura e releitura de imagens: possibilidades de desenvolvimento de alfabetização visual crítica. In: XI CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba, 23 a 26/09/2013. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/CD2013/pdf/8478_5655.pdf. Acesso em: 06.07.2020

BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. Arte-educação pós colonialista no Brasil: aprendizagem triangular. Comunicação & Educação (2):59-64.1995. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36136. Acesso em: 18.07.2019.

BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. A imagem no ensino de arte: anos oitenta e novos tempos. 9a Edição. São Paulo: Editora Perspectiva Ltda., 2014.

BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. Arte/Educação ou Educação Artística na América Latina. In: QUEIROZ, João Paulo e OLIVEIRA, Ronaldo. Arte e ensino: propostas de resistência. Lisboa, D.L. 2018, 11-2. Repositório da Universidade de Lisboa. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/37126/2/ULFBA_PE305_REDE_LIVRO_1_p12-21.pdf. Acesso em: 18.07.2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf>. Acesso: 28.10.2019.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: arte. Brasília: MEC/SEF, 1998. 116p. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/arte.pdf>. Acesso em: 28.10.2019

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio (PCNEM). Parte I: Bases Legais. 2000. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf>. Acesso em: 28.10.2019

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio (PCN). Parte II: Linguagens, códigos e suas tecnologias. 2000. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/14_24.pdf>. Acesso em: 28.10.2019.

BRASIL. Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática ‘História e Cultura Afro-Brasileira’, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 10 jan. 2003. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm>. Acesso em dez. 2021.

EISNER, Elliot. O que pode a educação aprender das artes sobre a prática da educação? Currículo sem Fronteiras, v.8, n.2, pp.5-17, Jul/Dez 2008. ISSN 1645-1384 (online). Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol8iss2articles/eisner.pdf. Acesso em: 05.07.2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª edição (1970). 23ª impressão. Ed Paz e Terra S.A.. Rio de Janeiro. 1987.

FREIRE, Paulo. Criando métodos de pesquisa alternativa: aprendendo a fazê-lo melhor através da ação. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (org.) Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense. 1996. p. 34-41.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25a Edição. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (Coleção Leitura). ISBN 85-219-0243-3. Disponível em: https://docero.com.br/doc/5nv0. Acesso em: 11.07.2020.

GAGLIANONE, Isabela. Pierre Verger, “50 anos de fotografia 1932-1982”. Post publicado em Fotografia, Resenhas, marcado com a tag Pierre Verger em 03/09/2014. Disponível em: <https://obenedito.com.br/pierre-verger-50-anos-fotografia/>. Acesso em: 22.01.2020.

HALL, Stuart. Cultural identity and cinematic representation. Framework, London, n. 36, p. 68-82. 1989. Disponível em: http://academic.uprm.edu/mleonard/theorydocs/readings/SHall.pdf. Acesso em: 18.07.2019.

HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da (org.); HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais.15a ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014 p.103-133.

HANSEN, Sheila de Oliveira. Reflexões sobre o ensino da arte no ensino médio: experiências de quem rema contra a maré. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, 2017. 184 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Profissional em Saúde) - Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional em Saúde. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio. 2017.

LÜHNING, Angela. Pierre Fatumbi Verger e sua obra. Afro-Asia, Salvador, UFBA, 21-22 315-364, 1998. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/20971/13574. Acesso em: 29.07.2019.

MARTINI, Gerlaine Torres. A fotografia como instrumento de pesquisa na obra de Pierre Fatumbi Verger. Brasilia: Universidade de Brasília, 1999. (Dissertação de Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Comunicação. Faculdade d Comunicação. Universidade de Brasília, Brasília, 1999. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/5104/1/1999_GerlaineTorresMartini.pdf. Acesso em: 01.07.2020.

MUNANGA, Kabengele. Entrevista de Kabengele Munanga - A difícil tarefa de definir quem é negro no Brasil. Estudos Avançados, São Paulo, Universidade de São Paulo, 18 (50): 51-56, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v18n50/a05v1850.pdf. Acesso em: 18.07.2019.

MUNANGA, Kabengele. Origens africanas do Brasil contemporâneo: histórias, línguas, culturas e civilizações. São Paulo: Global, 2009. 112 p. 2007.

MUNANGA, Kabengele. Histórias afro-atlânticas: algumas questões. In: Histórias afro-atlânticas (vol 2) Antologia. PEDROSA, Adriano, CARNEIRO, Amanda, MESQUITA André (organização editorial). São Paulo: MASP, 2018. pg 604-605.

OSTROWER, Fayga. 2014. Criatividade e processos de criação. Petrópolis, Vozes, 2014.

PIERRE VERGER: chegar à Bahia, 5 de agosto 1946. Direção Carlos Pronzato. Brasil. Produtor: Bruno Delbechi. 2006. Diretor de fotografia: Stefano Barbi Cinti. Elenco: Alejandro Mariani, no papel de Verger. Video duração 9'44". Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=mi0G4JHjO7k. Acesso em: 29.07.2019.

QUINTERO Pablo, FIGUEIRA Patricia, ELIZALDE, Paz Concha. Uma breve história dos estudos decoloniais. In: MASP Afterall. Arte e descolonização. São Paulo, 2019, p.4 – 12. Disponível em: https://masp.org.br/uploads/temp/temp-6b4An9oil56DP0KVnRBC.pdf. Acesso em: 09.07.2019.

RISÉRIO, Antonio. Avant-garde na Bahia. São Paulo, Instituto Lina Bo e P.M.Bardi, 1995.

SONTAG, Susan. Sobre a fotografia. Tradução Rubens Figueiredo. 1a. Edição. São Paulo. 10a. Impressão. Companhia das Letras, 2004.

SOUTY, Jérôme. Em busca do olhar virgem: a propósito das fotografias de Pierre-Verger em torno do mundo, 1932-1946. Revista Poiésis, no 12: 209-221. 2008. Disponível em: https://periodicos.uff.br/poiesis/article/viewFile/26975/15679. Acesso em: 11.07.2020.

TAVARES, Luís Henrique Dias. História da Bahia. Editora UNESP. Salvador, Bahia. 10ª Edição (revista e ampliada). 542p. 2001.

VERGER, Pierre. Retratos da Bahia. 1946 a 1952. Editora Currupio. 2a Edição. Salvador, Bahia. 1990.

WOLFENSON, Bob. Bob Wolfenson: cartas a um jovem fotógrafo. O mundo através das lentes. Elsevier, 2009. ISBN 978-85-352-2794-9. 223 pp.

WOODWARD, Katheryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, Tomaz Tadeu. 2014. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Tomaz Tadeu da Silva (org.) Stuart Hall, Kathryn Woodward. 15a ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

BRAZIL, M.; SOUZA, M. B. A obra artística fotográfica de Pierre Verger em processos de ensino, aprendizagem e criação em artes no ensino médio. Revista GEARTE, [S. l.], v. 8, n. 3, 2021. DOI: 10.22456/2357-9854.109306. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/gearte/article/view/109306. Acesso em: 6 jul. 2022.