O que a natureza vende? Um olhar sobre as representações de natureza no discurso publicitário

Autores

  • Marise Basso Amaral Instituto Porto Alegre

Palavras-chave:

Representações culturais, estudos de mídia, natureza, Estudos Culturais, publicidade

Resumo

O presente artigo, através da análise de duas peças publicitárias, tenta problematizar a utilização de imagens de natureza na divulgação dos mais diversos produtos (carros, pneus, leite, inseticidas, shampoo, roupas e sapatos). Esta se dá no sentido de reconhecer que as imagens de natureza "capturadas" pela cultura dos anúncios publicitários passam a integrar uma rede simbólica que produz representações de uma natureza, às vezes romântica, pura e benevolente, outras vezes primitiva, inóspita e distante, e, na maioria das vezes, uma natureza-recurso, natureza-objeto, contraponto negativo de tudo aquilo que a cultura e o consumo podem nos oferecer. Entendo o discurso publicitário como uma importante produção cultural e pedagógica de nosso tempo que nos ensina através de suas representações naturalizadas de natureza, de homem, de raça, de mulher, de trabalho, de sucesso, como nos relacionamos com e nos posicionamos no mundo ao nosso redor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marise Basso Amaral, Instituto Porto Alegre

Marise Basso Amaral é bióloga, Mestre em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da UFRGS, doutoranda pelo mesmo programa e professora de Ciências do Instituto Porto Alegre (IPA).

Arquivos adicionais

Publicado

2017-02-21

Como Citar

Amaral, M. B. (2017). O que a natureza vende? Um olhar sobre as representações de natureza no discurso publicitário. Educação &Amp; Realidade, 22(2). Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71365

Edição

Seção

Artigos