Psicólogas, cientistas e feministas: a produção de si e de uma ciência psicológica posicionada

Autores

  • Tayane Rogeria Lino Universidade Federal de Minas Gerais
  • Claudia Mayorga Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Experiência, Teoria Feminista, Mulheres na Ciência

Resumo

A Teoria Feminista constitui uma dentre muitas das forças envolvidas no questionamento da pretensão universal e singular da ciência moderna. Esta pespectiva busca contribuir para uma reinterpretação da histórica da sociedade a partir do lugar social das mulheres. O presente artigo buscou conhecer a experiência de mulheres cientistas psicólogas feministas e compreender como estas têm integrado o campo científico, com atenção a como e por que têm produzido ciência psicológica. Em busca de trilhar caminhos para respostas, as interlocutoras desta pesquisa foram as professoras: Sandra Maria da Mata Azêredo (UFMG) e Jaileila de Araújo Menezes (UFPE). O tecer das histórias, ditas e escritas, formam teias de sentidos, e podem ser entendidas e interpretadas a partir de uma perspectiva feminista. As conclusões apontam que as cientistas investigadas têm anseios de construir outros modos de ciência em um movimento de invenção de si a intelectuais, constituem uma trama aberta de sentidos para a compreensão das relações sociais e dos processos de subjetivação dos sujeitos em suas pesquisas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tayane Rogeria Lino, Universidade Federal de Minas Gerais

Tayane Rogeria Lino é psicóloga social e clínica. Possui graduação pelo Departamento de Psicologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), mestrado e doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atua como professora universitária no Centro Universitário Una. É pesquisadora do  Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão Conexões de Saberes/FAFICH/UFMG. Compõe o colegiado gestor da regional Minas Gerais da Associação Brasileira de Psicologia Social.

Claudia Mayorga, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Psicologia Social pela Universidade Complutense de Madri - Espanha com foco em estudo sobre gênero, política e feminismo. É professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais e do Programa de Pós-graduação em Psicologia. Coordena o Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão Conexões de Saberes na UFMG. Áreas de pesquisa e extensão: Psicologia Social e Feminismo com os seguintes temas: análise interseccional da desigualdade social brasileira; psicologia comunitária e intervenção psicossocial; participação social e política; democratização da universidade e ações afirmativas; epistemologia feminista e metodologias participativas. Foi Pró-reitora adjunta de extensão da UFMG (2014-2018). Atualmente é Pró-reitora de Extensão da UFMG (2018-2022).

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

LINO, T. R.; MAYORGA, C. Psicólogas, cientistas e feministas: a produção de si e de uma ciência psicológica posicionada. Revista Aedos, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 682–713, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/96873. Acesso em: 13 ago. 2022.