Protração do passado no presente: vidas negras queers também importam

Autores

  • Allan Kardec Silva Pereira Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

negritude, violência, temporalidade

Resumo

Inicialmente, discutiremos como movimentos co-liderados em sua maioria por jovens mulheres queers como o Black Lives Matter e o #SAYHERNAME enfocam a questão da “violência do estado”, pautando suas demandas para além dos discursos do direito, questionando a narrativa homonacionalista e colorblindness. Em seguida, a partir de uma leitura afropessimista, enfocaremos casos de brutalidade policial envolvendo mulheres trans negras. Dessa forma, por fim, estabeleceremos uma interpretação em que tais cenas de sujeição e terror racial são intensidades temporais que estruturam a subjetividade e as chances de vida que tem “marcado” os negros – ainda mais os queers negros – desde a escravidão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Allan Kardec Silva Pereira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando em História UFRGS

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

PEREIRA, A. K. S. Protração do passado no presente: vidas negras queers também importam. Revista Aedos, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 345–366, 2020. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/92988. Acesso em: 4 jul. 2022.